Portal Tucumã
Copyright ©2022 Portal Tucumã.
Todos os direitos reservados.

10 de agosto, 2022

Amazonas soma sete chacinas no ano de 2019, ao todo, 92 pessoas já foram mortas

O ano de 2019 tem sido marcado por diversos acontecimentos, o principal deles envolve a segurança pública no Amazonas. Somente neste ano, o Estado já soma a realização de sete chacinas, totalizando a morte, aproximadamente, de 90 pessoas.

De acordo com a polícia, os assassinatos teriam ligação direta sobre o controle do tráfico de drogas na cidade.

Além disso, as investigações da polícia apontam que os principais envolvidos nas mortes seriam realizadas por integrantes das facções criminosa Família do Norte (FDN), comandada pelo narcotraficante “Zé Roberto da Compensa”, e Comando Vermelho (CV). Relembre os casos

Mortes em Beruri

O primeiro massacre aconteceu em março desse ano no município de Beruri, distante a 173 quilômetros de Manaus, quando cinco pessoas da mesma família, e três crianças de 2, 4 e 11, foram assassinadas com facadas e golpes de marreta por Antonio Carlos Ferreira dos Santos, 22, Marinilson Maciel dos Santos, 20 e Pedro Maciel dos Santos, 18.

(Suspeitos da chacina em Beruri. Foto: Divulgação)

Em depoimento à polícia, o trio afirmou que só queria roubar uma quantia de R$ 14 mil, que segundo eles, estaria dentro da casa. Os três homens foram presos em Manacapuru.

Briga de detentos

A segunda chacina aconteceu no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), localizado no quilômetro 08 da rodovia federal BR – 174, no dia 26 de maio de 2019, após briga interna entre os detentos. O fato resultou em 15 mortes.

(Complexo Penitenciário Anísio Jpbim (Compaj). Foto: Nilson Ricardo)

No dia seguinte detentos de outras unidades prisionais foram mortos, segundo a polícia, com sinais de asfixia. As mortes aconteceram no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) 1, Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) e também no Compaj.

Parque São Pedro

A quarta chacina aconteceu em setembro deste ano, quando cinco pessoas da mesma família foram mortas por homens fortemente armados invadiram uma residência localizada na rua São Bento, bairro Parque São Pedro, zona Oeste de Manaus. Segundo a polícia, o crime teve ligação com o tráfico de drogas.

Monte Horebe

Em outubro deste ano a quinta chacina aconteceu na invasão Monte Horebe, localizado na zona Norte de Manaus. Na ocasião, três pessoas foram decapitadas por integrantes da FDN.

(Monte Horebe. Foto: Divulgação)

Após os ocorridos, a Secretaria Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP – AM) reforçou o policiamento no local que, segundo eles, é considerado área vermelha e dominada por traficantes.

Confronto no Crespo

Supostos traficantes trocaram tiros com a equipe policial da Ronda Ostensivo Cândido Mariano (Rocam) em outubro deste ano no bairro Crespo, zona Sul da capital. Cerca de 17 pessoas morreram durante a ação e o caso ficou reconhecido como o maior confronto policial no Amazonas.

(Bairro Crespo. Fotos: Divulgação)

Possivelmente eles seriam membros da FDN e estavam prontos para tomar uma boca de fumo quando foram interceptados pela polícia.

Bairro Nova Cidade

O caso mais recente aconteceu na noite do último sábado (16) quando vitimou cinco pessoas da mesma família em uma residência localizada no bairro Nova Cidade, zona Norte de Manaus. Cinco morreram e outra continua internada no Hospital e Pronto-Socorro com estado de saúde grave.

(Bairro Nova Cidade. Foto: Vanessa Oliveira)

De acordo com a polícia, dois homens fortemente armados chegaram no local e efetuaram os disparos contra as vítimas.

Reforço policial

Após o ocorrido no bairro Nova Cidade, o secretário de segurança, Coronel Louismar Bonates, informou por meio de nota que a zona Norte da capital vai receber reforço policial.

Policiais da Rocam e barreiras de trânsito montadas pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM) fazem parte da resposta policial.

(Coronel Louismar Bonates . Foto: Pablo Trindade/AGIF/Folhapress)

De acordo com a nota, “quem tiver informações que possam ajudar a Polícia deve ligar para o 181, o disque-denúncia da SSP. A ligação é gratuita e sigilosa”.

Da Redação

MATERIAS RELACIONADAS