Após clamores dos peritos, finalmente o IML recebe algumas melhorias na estrutura

Após clamores dos peritos,
A aquisição de uma câmara mortuária nova, além de materiais permanentes e de insumo, foi feita com verba de R$ 300 mil um ano após clamores dos peritos
Por Henrique De Mesquita
Publicado em 24/11/20 às 10h14

A estrutura do Instituto Médico Legal (IML) recebeu melhorias em sua estrutura nas últimas semanas após clamores do peritos. A aquisição de uma câmara mortuária nova, além de materiais permanentes e de insumo, foi feita com verba de R$ 300 mil destinada pelo deputado estadual Delegado Péricles (PSL), por meio de emenda impositiva.

“Essas emendas não beneficiam apenas os funcionários do IML – que hoje fazem trabalho exemplar, mesmo diante das dificuldades -, mas aprimoram o serviço ofertado à população. Quem já perdeu um ente querido sabe bem dos gargalos resultantes da falta de espaço, de estrutura e material adequado para a execução do trabalho dos profissionais que ali atuam”, afirmou o parlamentar.

De acordo com Péricles, o valor destinado permite a compra de material na identificação da produção civil, criminal, post-mortem e perícia papiloscópica. “É aprimoramento no trabalho de pesquisa e aperfeiçoamento da identificação humana, de representação facial humana (retrato falado)”, explicou.

Péricles também destaca benefício direto à aquisição de insumos que auxiliarão na conclusão de laudos. “Sim, os laudos técnicos científicos ganham celeridade com a disponibilização de estrutura para tal fim”, continuou.

Após clamores dos peritos, o IML foi contemplado por apresentar projetos durante o Edital de Emendas lançado pelo deputado em 2019 e ter destinação aprovada por comissão técnica. “Minha missão é melhorar em todos os âmbitos a prestação de servidos em nosso estado. Tenho trabalhado diariamente por isso, seja por meio de emendas, de projetos de lei ou ações de fiscalização do executivo”, concluiu.


Resultados da Operação ‘Cumpra-se a Lei’


Em 2019, a imprensa manauara divulgou uma série de denúncias de peritos oficiais do Amazonas, que relatavam a falta de estrutura do Instituto Médico Legal para serviços básicos, como necrópsia e transporte dos corpos.

O vice-presidente do Sindicato dos Peritos Oficias do Amazonas (SIMPOEAM), Ilton Soares, alegou que nem eletricidade para acender lâmpadas havia em certas salas do IML, não havia também equipamentos de raios X para localizar projéteis nos corpos e as três viaturas cedidas pelo Governo Federal estavam danificadas e inoperantes.

A operação ‘Cumpra-se a Lei’, realizada pelo Instituto Médico Legal (IML), Instituto de Criminalística (IC) e Instituto de Identificação (ID), pediu condições mínimas de trabalho. Segundo o perito Criminal Thiago Marques, a categoria só pode continuar com o trabalho, desde que as manutenções de veículos voltassem a ser efetuadas e que houvessem equipamentos apropriados para os serviços.

Na época, durante uma operação de remoção de corpo, um condutor sofreu um acidente com o carro do instituto por causa da ausência de manutenção no veículo. Segundo o IML, o acidente ocorreu devido a um problema mecânico na parte traseira do carro. O veículo é um dos três que ficou inoperante.

A categoria pedia também que mais funcionários fossem contratados para suprir a demanda dos casos locais, mas até o momento não foi prevista a realização de contratações ou concursos.


Foto: Divulgação



Leia também: Trabalho infantil é alvo de combate do Governo do Amazonas em parceria com a ONU

Após clamores dos peritos,

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap