Aumento de penas em fraudes eletrônicas é aprovado no Senado

Aumento de penas
Segundo o texto da propositura, as penas podem ir de três a seis anos de reclusão para crimes de furto usando meios eletrônicos ou informáticos
Por Edilânea Souza
Publicado em 26/11/20 às 08h44

O aumento de penas para quem cometer crimes de fraudes eletrônicas foi aprovado, nesta quinta-feira (26), pelo Senado. O projeto é de autoria de Izalci Lucas (PSDB-DF), e segundo o texto da propositura, as penas podem ir de três a seis anos de reclusão para crimes de furto usando meios eletrônicos ou informáticos.

O código penal prevê o crime de furto como passível de pena de um a quatro anos. O projeto segue para a Câmara dos Deputados.

De acordo com o parlamentar, a pandemia da Covid-19 fez crescer a incidência desse tipo de crime no país e atingiu, inclusive, os beneficiários do auxílio emergencial. Izalci havia proposto uma previsão de pena maior, de quatro a oito anos, mas foram reduzidas no relatório aprovado em plenário.

O texto ainda acrescenta hipótese de agravamento da pena de crime contra a honra quando cometido usando a internet. O PL tipifica o crime de “invasão de dispositivo informático” como a conduta de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização do usuário do dispositivo ou instalar vulnerabilidades para obter vantagem ilícita.

Com informações Agência Brasil

Leia mais: Expectativa de vida no Brasil passa de 73,3 para 76,6 anos em 2019

Aumento de penas

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap