Autoridades libanesas revelam possível causa da explosão em Beirute

Milhares de feridos foram registrados após explosão
Por Raphael Sampaio
Publicado em 04/08/20 às 08h01

(Foto: EPA / ANSA Brasil)

O presidente do Líbano, Michel Aoun, informou a o que disse ser a possível causa da gigantesca explosão ocorrida no porto de Beirute nesta terça-feira (4). O galpão, apontado como local para guardar materiais ilegais apreendidos no porto, armazenava 2.750 toneladas de nitrato de amônio, que foram apreendidas há alguns anos por um navio e podem ter causado a grande explosão registrada no local.

A declaração foi divulgada pela BBC nesta terça-feira (4), após uma reunião de emergência do Conselho Supremo de Defesa no palácio presidencial de Baabda.

“Não descansarei até que a pessoa responsável pelo que aconteceu o responsabilize e imponha as penalidades mais severas porque é inaceitável que um carregamento de nitrato de amônio esteja presente há 6 anos em um armazém sem tomar medidas preventivas”, disse ele, de acordo com o canal LBCI News.

Em sua conta no Twitter, o presidente libanês classificou como “inaceitável” que 2.750 toneladas de nitrato de amônio fossem armazenadas sem segurança. Uma investigação está em andamento para determinar a causa da explosão.

Mais cedo, o Ministério do Interior do Líbano informou que a agência de alfândegas do país seria responsável para esclarecer sobre a presença do material altamente explosivo na região portuária.

Por UOL

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap