Bessa diz que vai à polícia denunciar representantes do IMMU

O parlamentar disse que vai à Polícia por não compactuar com a gestão do IMMU, quanto ao transporte clandestino na zona Norte
Por Edilânea Souza
Publicado em 25/11/20 às 13h33
Bessa
Bessa

O vereador reeleito Elissandro Bessa (Solidariedade) disse na manhã desta quarta-feira (25), durante a realização do pequeno expediente na Câmara Municipal de Manaus (CMM), que vai à Polícia contra gestores do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU).

De acordo com o parlamentar, ele mesmo e o vereador Dante (PSDB) protocolaram um pedido junto à secretaria sobre a precariedade os ônibus que operam no residencial Viver Melhor, e os responsáveis do IMMU alegaram não saber da demanda.

“Há alguns meses eu solicitei que eles renunciassem e pedissem para sair e não melhorou. Nós estivemos no bairro União da Vitória, próximo a barreira na Torquato Tapajós e a população clamou por um transporte de qualidade e meu papel é cobrar isso da Prefeitura e da Secretaria”, disse o parlamentar que indicou inclusive o uso de transporte alternativo para ajudar os moradores do local.

Elissandro disse que uma semana antes da Eleição teve sua indicação atendida, porém o diretor financeiro do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), avisou que iam cortar o validador dos ônibus, no caso a catraca, por não terem liberado a circulação deles na área. “Eu não vou passar a mão na cabeça deadministrador “incompetente”, declarou Bessa.

Bessa disse que os diretores do Instituto estão cometendo um crime ao permitir que Kombis clandestinas façam o transporte dentro daquela área. Em seu discurso acalorado, Elissandro Bessa disse que há conivência do órgão aos motoristas clandestinos e que vai fazer boletim de ocorrência na Delegacia Combate ao Crime Organizado.

“Ele não atende a população , só os empresários. Vou denunciar essa prática dele junto à Polícia, porque tem 22 Kombis fazendo transporte clandestino e com a conivência do IMMU. Isso é uma quadrilha que tem lá”, ressaltou Elissandro Bessa.

O parlamentar disse ainda, que tem provas da atuação das Kombis clandestinas na localidade e que vai apresentar fotografias na denúncia.

Outras denúncias

Bessa também disse antes das Eleições que a os serviços de infraestrutura prestados pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) estão sendo usados para fins eleitoreiros e que iria levar o caso ao Ministério Público.

Na ocasião, o parlamentar disse que iria abrir a “caixa-preta” da Seminf na sessão desta terça-feira (20), o que não aconteceu. Em entrevista por telefone ao Portal Tucumã, o vereador Bessa disse que não formalizou a denúncia por conta do curto tempo que teve para discursar e por estar juntando provas para ingressar com processo no Ministério Publico Eleitoral (MPE), Ministério Público do Amazonas (MP-AM) e Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TEC-AM).

Leia mais: Serviços da Seminf são ‘vendidos’ por votos em Manaus, diz vereador

Bessa

veja mais

veja mais

Copy link
Powered by Social Snap