Black Friday: 10 dicas para não cair na ‘Black Fraude’

black friday
Confira 10 dicas para evitar os golpes e fraudes nesta Black Friday, que acontecerá nesta próxima sexta-feira, 27 de novembro
Por Henrique De Mesquita
Publicado em 24/11/20 às 17h22

Manaus – Com a campanha de Black Friday do dia 27 de novembro chegando e muitas promoções já ocorrendo desde o início do mês, cresce a ansiedade do consumidor por grandes descontos, principalmente pra quem visa economizar pensando nas compras deste Natal.

No entanto, é preciso ficar atento à ‘Black Fraude’: São nestes momentos de ansiedade que golpistas agem para roubar seu dinheiro, dados e tranquilidade. O que viria a ser barato, acaba saindo muito caro.

O Portal Tucumã, pensando em você, juntou 10 dicas para evitar os golpes e fraudes. Confira:

1° – O básico: preços muito baixos 99,9% das vezes são furada

Um dos golpes mais comuns é o do falso desconto. Aquele produto que está com o preço tão baixo que parece mentira. Normalmente aparece em páginas falsas que simulam e-commerce ou anúncios falsos que simulam estar vinculados a lojas de credibilidade.

Para não cair nessa fraude, compare os preços entre diversas fontes e veja o histórico ou reputação do revendedor do item. Se ele estiver muito abaixo do comum, ou houver reclamações, desconfie. Se não houver histórico, desconfie. Se todos comentários forem falando bem, desconfie também e veja se não está em uma página falsa. O segredo é a desconfiança !

Verifique se preço está diferente no anúncio

Com a chegada da Black Friday, é comum que haja aumento do número de anúncios na internet, com promoções de diversas marcas. Apesar disso, se atente ao preço divulgado no anúncio e ao que está efetivamente na página.

Algumas empresas utilizam uma estratégia que vai contra o Código do Consumidor: colocam um valor mais interessante no anúncio e, quando você chega até a página e fecha seu carrinho de compras, o preço é outro.

3° – Lojas Online: Avalie a Reputação do vendedor e histórico das Lojas

Em algumas situações, você pode se interessar por produtos importados que estão disponíveis apenas em certos sites ou aplicativos de vendas que trabalham com lojas descentralizadas ao redor do mundo. Um exemplo são o Aliexpress, Banggood, Amazon ou até mesmo o Mercado Livre.

Sempre analise a reputação e o histórico das vendas disponíveis na própria plataforma e filtre pelos comentários das pessoas que já compraram se não houve problemas com o produto e a entrega. Se você não sabe fazer isto, peça ajuda de alguém mais experiente. Ou repense se realmente quer tal produto e não outro já disponível localmente.

Lembre-se do maldito frete !

Preste atenção no valor do frete cobrado e veja se há não indícios de que ele possa estar embutido no preço final do produto. Muitos lojistas espertinhos tem aplicado esse golpe.

Se o preço baixa, mas o frete sobe, provavelmente você pagaria o mesmo valor fora da Black Friday. Assim, o melhor é focar nas lojas que realmente reduziram a taxa do envio ou que trabalham com o frete grátis de verdade.

5° No momento, pode ser melhor comprar localmente

Pedir em sites gringos pode não ser a melhor opção nesta Black Friday se você mora no Brasil – e isto é um agravante se você mora numa cidade no meio da floresta amazônica.

Por questões que você deve imaginar, ligados a logística das entregas que vem do outro lado do mundo, a reputação dos nossos serviços de correios, alfandega, tributações e também as ameaças de lockdowns em virtude de ‘segunda onda’ da Covid-19, sua compra pode ficar parada e nunca nem chegar nas terras tupiniquins.

Na dúvida, compre em lojas que você já conhece ou que foi recomendação de algum familiar ou amigo que já tenha comprado e recebido o produto. Se encontrar alguma promoção muito atrativa em outra loja não tão famosa, é indicado pesquisar em redes sociais e até em sites de reclamações. Assim, você poderá descobrir se a marca é confiável ou se o anúncio é mesmo real .

6° Cuidado com as formas de pagamento

Pagamentos por boletos costumam ter melhores descontos e evitam roubo de dados pessoais que estão vinculados aos cartões de crédito e bancos digitais. No entanto, as compras efetivadas por boleto dificilmente possuem estorno caso você caia em um golpe.

Os cartões de crédito, por outro lado quase sempre costumam oferecer estorno em casos de fraude, mas isso depende muito da situação. O pior, é quando dados pessoais seus como CPF ou identidade vazam. Isso facilita que você fique a disposição dos hackers e crackers mesmo que cancele ou mude a bandeira do cartão.

Os cartões virtuais surgiram como um jeito bem mais simples, rápido e seguro de comprar na internet, e a tecnologia do Pix acelerou muito as formas de transação. A desvantagem é que a fluidez do recurso pode aumentar a falta de cautela do consumidor que acaba caindo em golpes por impulso. Por isso, lembre-se da nossa dica inicial e sempre mantenha a desconfiança.

7° Cuidado com os e-mails de marketing

Um forma clássica utilizada por hackers e pessoas mal-intencionadas para roubar dados é direcionar os consumidores para sites falsos e fazer você registrar seu e-mail para receber notificações. Você até pode estar cadastrado para receber e-mail de marketing de lojas famosas, mas sempre que receber as ofertas, especialmente, próximo da sexta-feira de descontos, preste atenção ao remetente.

Veja se o e-mail veio de um remetente confiável, preferencialmente, o mesmo que sempre envia outros e-mails marketing. Caiu na caixa de spam ou notou algo estranho? Não abra, nem clique nos links que estão ali.

8° Cuidado com os SMS e mensagens de Whatsapp

Essa artimanha é uma “atualização” herdada dos falsos e-mails de marketing. Em algumas dessas páginas falsas, os consumidores precisam preencher um formulário com dados pessoais para ter acesso às promoções. Em outras, ao clicar no anúncio, o cliente já é direcionado para uma área de compra e convidado a digitar os dados do cartão de crédito.

9° Só faça compras online se for com seu celular ou computador pessoal

Nunca use um computador público ou de um estranho para efetuar compras ou inscrever seus dados bancários. Essa é uma dica antiga que previne dores de cabeça até os dias de hoje e também nesse próximo Black Friday.

10° Cuidado com Mod’s e aplicativos piratas

Sempre utilize, em seu computador ou smartphone, softwares e aplicativos originais e mantenha sempre um antivírus atualizado. Os famosos Mod’s são modificações em aplicativos que desbloqueiam algumas vantagens, seja burlado serviços pagos ou quebrando a privacidade de dados.

Esses aplicativos se tornaram muito populares entre os jovens adeptos do sistema operacional Android. Infelizmente, muitos deles são feitos por hackers com a finalidade de roubo de dados de informações pessoais, inclusive bancárias. Se você é leigo no assunto, é bom evitá-los para não ter dores cabeça com seu cartão sendo usado para compras de terceiros nesta Black Friday.

Leia também: Recursos não usados do Fundeb se tornarão abono para professores

black friday

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap