Bolsa Família tem cadastro de espera de 1 milhão de pessoas após redução do auxílio emergencial

Após sucessivos cortes da cobertura e congelamento do ingresso ao programa, o governo de Federal deixou 1 milhão de famílias à espera de assistência social.
Por Henrique De Mesquita
Publicado em 04/12/20 às 10h05
1 milhão de famílias à espera de assistência social.
1 milhão de famílias à espera de assistência social.

Manaus – Com a redução no valor do auxílio emergencial, a fila de espera para entrar no Bolsa Família subiu. No fim de setembro, ela alcançou o patamar de 1 milhão de cadastros.

A lista, portanto, voltou ao que foi registrado no fim do ano passado, quando, após sucessivos cortes da cobertura e congelamento do ingresso ao programa, o governo de Federal deixou 1 milhão de famílias à espera de assistência social.

O Ministério da Cidadania havia suspendido a análise dos requerimentos para acesso ao Bolsa Família durante o pagamento do auxílio emergencial no valor de R$ 600 por pessoa.

O motivo é que a distribuição do benefício emergencial atendeu a mais pessoas que o programa social.

No fim de setembro, o governo passou a reduzir o auxílio emergencial para o valor de R$ 300. O ministério voltou a avaliar cadastros no Bolsa Família.

O orçamento do Bolsa Família foi reforçado para o próximo ano. Os recursos passaram de R$ 32,5 bilhões em 2020 para R$ 34,9 bilhões. Mesmo com o aumento, o programa deve começar 2021 já pressionado.

Atualmente, são atendidas 14,28 milhões de famílias. A verba prevista para o próximo ano é suficiente para transferir renda para 15,2 milhões de famílias.

Com isso, a fila de 1 milhão de lares, registrada no fim de setembro, já ocupa o espaço a ser aberto pela ampliação do orçamento no próximo ano. Os cadastros aprovados após setembro, então, impactam o Bolsa Família.

O Bolsa Família é o carro-chefe dos programas sociais do governo, idealizado durante o regime militar, e instituído na gestão do PT. Ele transfere renda diretamente para os mais pobres. O auxílio emergencial tem caráter provisório e deve acabar em dezembro.

A fila de espera do Bolsa Família se forma quando cadastros já aprovados pelo governo ficam mais de 45 dias sem uma resposta definitiva, ou seja, sem entrar efetivamente no programa.

Foto: Divulgação

Leia também: Enem digital: MEC ainda não fechou contrato para realização da prova

1 milhão de famílias à espera de assistência social.

veja mais

veja mais

Copy link
Powered by Social Snap