Bolsonaristas se ‘divertem’ com Renan Calheiros sendo indiciado pela PF

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), atual relator da CPI da Pandemia, foi indiciado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro e corrupção
renan bolsonaristas
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Manaus – A ação movida pela Polícia Federal (PF) contra o senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi um dos assuntos mais comentados neste sábado (03) cenário político. De acordo com as investigações, ele pediu e recebeu R$ 1 milhão em propina da Odebrecht em 2012.

O dinheiro teria sido pago em troca de o senador atuar pela aprovação de uma resolução que restringia incentivos fiscais a produtos importados que vinham sendo concedidos pelos Estados com o objetivo de beneficiar a Braskem.

Rapidamente, políticos que são apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) repercutiram o assunto nas redes sociais. Por conta ação movida pela PF, o deputado Vítor Hugo (PSL-GO) criticou os trabalhos da CPI da Pandemia, tendo em vista que Renan Calheiros é o relator da comissão.

“É isso mesmo? Alguém me responde aí: Renan foi indiciado pela PF por suspeita de receber propina de R$ 1.000.000,00 da Odebrecht? Corrupção passiva e lavagem de dinheiro? CPI desmoralizada por completo […]”, disse.

Na visão do deputado Carlos Jordy (PSL-RJ), o senador Renan Calheiros é mais sujo que “pau de galinheiro”.

“Renan mais sujo que pau de galinheiros é indiciado pela Polícia Federal por recebimento de 1 milhão em propinas. Seu nome na lista da Odebreht é “justiça”. Já ouvi que a justiça é cega, não sabia que era corrupta”, falou.

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), uma das principais defensoras de Bolsonaro, ironizou Calheiros em sua conta no Twitter.

Em nota, o advogado Luís Henrique Machado, que atua na defesa do senador, informou estar confiante de que a investigação será arquivada por acreditar que as apurações estão baseadas apenas em depoimento de delatores.
“Ao final de complexa investigação criminal, verificou-se a existência de elementos probatórios concretos de autoria e materialidade para se atestar a presença de indícios suficientes de que o Senador da República José Renan Vasconcelos Calheiros, no exercício de mandatos sucessivos de Senador da República desde 1995, juntamente com outras pessoas, cometeu o delito de corrupção passiva ao solicitar e receber pagamentos indevidos no montante de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais), no dia 31.05.2012, ano em que não foi candidato nas eleições, no contexto da aprovação do Projeto de Resolução do Senado nº 72/2010, convertido na Resolução do Senado Federal nº 13/2012”, escreveu o delegado no relatório.

Confira as reações dos bolsonaristas

Leia também: David Almeida diz que ficaria ‘tranquilo’ se fosse convocado na CPI da Pandemia

MATERIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap