Bolsonaro critica Globo e culpa emissora por mortes causadas pela Covid-19

Presidente considera que emissora comemorou 100 mil mortes como uma final de Copa do Mundo
Por Raphael Sampaio
Publicado em 09/08/20 às 08h36

(Foto: Reprodução)

A Rede Globo voltou a ser alvo das ccríticas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) após editorial de deste sábado exibido no “Jornal Nacional”, sobre o número de 100 mil óbitos pelo novo coronavírus no Brasil. No texto, a emissora aponta o presidente como culpado por parte das mortes e relembrou algumas declarações dele desde o início da pandemia, como o “E daí” e o “não sou coveiro”.

No Twitter, mesmo lamentando as mortes e criticando o isolamento social novamente, o presidente afirmou, sem citar nomes, que a rede de televisão “só espalhou o pânico na população e a discórdia entre os Poderes”. Além disso, afirmou que a Globo “desdenhou, debochou e desestimulou” o uso da hidroxicloroquina — que não tem comprovação científica para a doença, mas que segue sendo defendida por ele.

Segundo o presidente, mesmo que nenhum estudo indique sua eficácia, o medicamento “salvou a minha vida e, como relatos, a de milhares de brasileiros”. Bolsonaro escreveu também no Twitter que a “desinformação mata mais do que o vírus” e mandou recado:

“O tempo e a ciência nos mostrarão que o uso político da Covid-19 por essa TV trouxe-nos mortes que poderiam ter sido evitadas.”, disse.

Para completar, o chefe do Executivo afirmou que a Globo “festejou” a marca de 100 mil mortes de uma forma que ele considerou “covarde e desrespeitosa” , comparando a uma final de Copa do Mundo. Finalizou dizendo que a emissora está com saudades dos governantes que a colocava “como prioridade ao fazer o Orçamento da União, mesmo sugando recursos da saúde e educação”.

Com informações do UOL

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap