Bolsonaro diz que alguns gestores públicos são donos de cidades e estados

Bolsonaro afirmou que não quer ter popularidade e foi enfático em dizer que a economia precisa voltar a crescer no País.
Por Edilânea Souza
Publicado em 25/03/20 às 10h03
Pronunciamento

Em seu pronunciamento matinal na frente do Palácio do Alvorada, na manhã desta quarta-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não quer ter popularidade e foi enfático em dizer que a economia precisa voltar a crescer no País. Bolsonaro citou inclusive os Estados Unidos, que já deve reabrir seus comércios.

“Se a economia colapsar não vai ter dinheiro para pagar servidor público, o caos está aí na nossa cara e detalhe, se tivermos problemas, que podemos ter os mais variados possíveis no Brasil, como saques a supermercados entre outras coisas, o vírus continuará entre nós, aí vamos ficar com o caos e o vírus juntos. E o que precisa ser feito é botar o povo pra trabalhar e preservar os idosos, preservar aqueles que tem problemas de saúde”, disse.

Bolsonaro falou ainda, que alguns gestores estão tomando medidas que vão prejudicar a população. “O que eu quero levar a população é uma mensagem de paz, tranquilidade e serenidade, mas o que estão fazendo no Brasil, alguns poucos prefeitos e governadores, é um crime. Eles estão arrebentando com o Brasil, estão destruindo empregos. E aqueles que dizem que a economia é menos importante que a vida, cara pálida não associe uma coisa com a outra, sem dinheiro e sem produção nós vamos viver de quê?”, comentou.

Na ocasião do pronunciamento, alguns de seus apoiadores gritavam para que o presidente não baixasse a cabeça, que “Deus o colocou nessa posição e que Deus era com o presidente”.

Jair Bolsonaro chegou a dizer ainda que alguns gestores são donos de suas cidades e estados, citou inclusive Rio de Janeiro e São Paulo, que estão fazendo política o tempo inteiro. “Certas autoridades estaduais e municipais estão tomando medidas no meu entender, além da normalidade. São verdadeiros donos de seus estados e municípios, estão proibindo tráfego de pessoas, de rodovias, fechando empresas e comércios”, ressaltou.

Quanto ao pronunciamento na noite de ontem, o presidente disse que ele mesmo fez seu discurso e que ele é o culpado pelo discurso. “Eu fui criticado por quem?? Por quem nunca fez nada pelo Brasil? Estou muito feliz com as críticas”, disse.

MATÉRIAS RELACIONADAS