Briga pela presidência da Câmara faz Maia retirar cargos de aliados de Lira

De acordo com parlamentares, dessa quantia, o presidente tem direito a cerca de 200 cargos de livre nomeação, que às vezes cede a aliados
Por Edilânea Souza
Publicado em 11/01/21 às 16h00
Maia
Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem exonerado servidores em cargos comissionados indicados por parlamentares do bloco de Arthur Lira (PP-AL), candidato à presidência da Casa.

Os cargos são parte importante da negociação pela Mesa Diretora nas anteriores da Câmara. Há hoje cerca de 1.700 cargas de natureza especial (CNE) distribuídas entre ocupantes da Mesa Diretora e partidos políticos. De acordo com parlamentares, dessa quantia, o presidente tem direito a cerca de 200 cargos de livre nomeação, que às vezes cede a aliados.

Baleia Rossi (MDB-SP), aliado de Maia, concorre com Arthur Lira, na disputa que deverá acontecer no início de fevereiro, no retorno aos trabalhos da Casa.

No último sábado (9), Lira chegou a falar das ameaças de demissão em suas rede sociais. Em uma publicação, Lira questiona onde está a “turma” que fala em democracia e liberdade. “Chegam relatos de pressão de governadores nas bancadas, repressão das cúpulas partidárias e até ameaças de exonerações dentro da Câmara. Tudo isso lá do lado da turma que fala em democracia e liberdade”, escreveu ele.

No Twitter, Lira disse que sua candidatura foi baseada na base de deputados que querem ter vez e voz no espaço do Parlamento. “Minha candidatura nasceu da base de deputados buscando sua voz e espaço para se manifestar. A Câmara foi tocada de maneira personalista e o outro projeto nasceu de uma imposição. E a imposição e força continuam.

Leia mais: Arthur Lira denuncia ameças e repressões dentro da Câmara, após sua candidatura e apoio de outros parlamentares

Maia

veja mais

veja mais

Copy link
Powered by Social Snap