Manaus, 14 de julho de 2020

Caso delegado: troca de mensagens mostra reviravolta para nova versão

Uma possível 'gravidez' da modelo estaria em jogo.
Por Thiago Eduardo
Publicado em 28/05/20 às 10h12

Uma reportagem veiculada na noite desta quarta-feira (27), pelo Jornal da Record, mostra uma suposta troca de mensagens entre o delegado Paulo Bilynskyj, e uma ‘ex-namorada’, momentos antes da tragédia que culminou na morte da modelo Priscila Bairros.

A conversa entre Paulo Bilynskyj e a moça começou às 21h15 da véspera do crime, quando o delegado revela que terminou o relacionamento com a modelo e que está com medo de ela fazer algo errado.

Ele escreve que a preocupação é que Priscila pegue uma arma dele. O delegado diz que a modelo está chorando muito.

Confira as mensagens em ordem cronológica:

Às 21h18, a ex-namorada escreve que não conseguiria dormir com uma pessoa assim ao lado dela, com tantas armas ali. Paulo Bilynskyj responde que está preocupado.

Às 21h29, o delegado diz que Priscila vai para um hotel. Depois, às 23h15, fala que ela iria passar a noite no apartamento mesmo.

Às 23h18, ele diz que vai dormir no quarto de hóspedes e que as armas estão com ele. A ex-namorada pede para ele trancar a porta.

A conversa é retomada cedo pela manhã, às 6h22. O delegado diz que a modelo ainda está desesperada e que ela acha que está grávida.

Às 8h09, ele manda a última mensagem antes dos tiros serem ouvidos pelos vizinhos. E escreve: “O que eu faço?”

O advogado da família da modelo, José Roberto Rosa, chama a atenção para o fato de as mensagens parecerem antecipar o desfecho. “Parece estranho, mas o que eles conversaram no dia anterior, à noite, acabou ocorrendo no outro dia de manhã. Ou seja, a possibilidade dele atentar contra a vida dele, a vida dela”, disse.

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap