Companhia Atala encerra suas atividades por tempo indeterminado

A Companhia Atala informou em comunicado oficial que a decisão foi motivada pelo reflexo da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Amazonas.
Por joao.castro
Publicado em 13/05/20 às 11h42
companhia atala atividades

Fotos: Divulgação

A Companhia Atala, uma das redes de academias mais famosas de Manaus, informou nesta quarta-feira (13) pelas redes sociais que vai encerrar suas atividades por tempo indeterminado.

Segundo a direção, a causa do fechamento das academias é reflexo do impacto da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) na capital, além de enfrentar crise financeira e política que o Brasil vem passando nos últimos cinco anos.

Em três décadas de atividades, é a primeira vez que a Companhia Atala vai fechar suas portas. A direção também cita o decreto governamental determinando o fechamento de academia e outros serviços considerados não essenciais.

“A vida é cheia de surpresas e nos trouxe o corona vírus, fomos obrigados a fechar por tempo indeterminado através de decreto governamental, com isso nossos clientes cancelaram seus pacotes de atividades em massa”, disse o comunicado.

O comunicado encerra agradecendo as mensagens de apoio e pede desculpas aos frequentadores do estabelecimento.

“A todos que acreditaram no nosso sonho, nosso trabalho, nossas mais sinceras desculpas. Obrigada por fazerem parte da família Atala”, completa.

Decisão de Bolsonaro

Na última segunda-feira (11) o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) sancionou um decreto classificando academias e salões de beleza como serviços essenciais diante da pandemia da Covid-19.

“A questão da vida tem que ser tratada paralelamente à questão do emprego. Sem economia não tem vida”, disse. O presidente acrescentou ainda que esses setores representam cerca de 1 milhão de empregos.

O decreto não foi muito bem recebido. O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) apresentou no mesmo um dia um projeto com a intenção de anular a decisão de Jair Bolsonaro.

“Ao contrário do presidente, nós vamos lutar para proteger a vida dos brasileiros”, comentou Freixo.

marcelo freixo projeto salão
Foto: Ricardo Borges/UOL e Adriano Machado/Reuters

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), prorrogou o isolamento social até o final do mês de maio. Ele também afirmou que os serviços considerados não essenciais, como academias, bares e restaurantes, vão permanecer fechados.

Confira o comunicado da Companhia Atala na íntegra

“Aos clientes, amigos e colaboradores,

Por mais de 3 décadas, exatos 32 anos completados agora em março, iniciamos um projeto, a realização de um sonho.

Foram anos e anos cuidando dessa semente, através de muito trabalho, esforço e dedicação, para oferecer aos nossos clientes o melhor espaço, o melhor atendimento e o melhor conceito de saúde física e mental. Sempre com ética, honestidade, sem precisar passar por cima de ninguém.

Somos eternamente gratos por nos confiarem sua vidas e a de seus filhos. Sem vocês não teríamos tido o brilho e o sucesso conquistados.

Porém, contra todas as dificuldades dessa crise brasileira que já dura 5 anos, conseguimos sempre de forma incansável e arrojada dar o nosso melhor e prestar o melhor serviço possível, assim sendo, contribuindo para mudar essa realidade.

Mas a vida é cheia de surpresas e nos trouxe o corona vírus, fomos obrigados a fechar por tempo indeterminado através de decreto governamental, com isso nossos clientes cancelaram seus pacotes de atividades em massa.

Diante do exposto, percebemos que todo grande sonho um dia chega ao final, e hoje declaramos oficialmente que a Companhia Atala não conseguirá reabrir suas portas devido ao grande custo operacional, encerrando assim suas atividades comerciais.

A todos que acreditaram no nosso sonho, nosso trabalho, nossas mais sinceras desculpas. Obrigada por fazerem parte da família Atala.

Família Atala”

Por João Paulo Castro

Leia também: Coronavírus: Uso de salões e academias traz riscos durante a pandemia

MATÉRIAS RELACIONADAS