Cristiano Ronaldo deixa claro que a história não chegou ao fim

O internacional português já tinha reagido, na véspera, através das redes sociais, dizendo que a «história não pode ser apagada», mas faltava a resposta em campo
Por Conceição Melquíades
Publicado em 14/03/21 às 15h36

Ainda antes do jogo começar, já era evidente a ansiedade de Cristiano Ronaldo pelo início do jogo. O internacional português já tinha reagido, na véspera, através das redes sociais, dizendo que a «história não pode ser apagada», mas faltava a resposta em campo.

Esta chegou na tarde deste domingo e de forma categórica, com Cristiano Ronaldo a marcar por três vezes num curto espaço de apenas 22 minutos. O primeiro de cabeça, o segundo com o pé direito e o terceiro com o pé esquerdo, o chamado hat-trick perfeito.

Ronaldo marcou o primeiro, aos 10 minutos, na sequência de um canto de Cuadrado, elevando-se bem na área para marcar de cabeça, ao seu melhor estilo. Um golo que não deixou Ronaldo satisfeito, como se viu no lance seguinte em que, ao tentar chegar a um cruzamento de Chiesa, atingiu o guarda-redes do Cagliari, Cragno, com a bota no queixo. Apesar de ter sido um lance casual, o internacional português arriscou a expulsão neste lance, mas viu apenas um amarelo.

O jogo estava aberto, com muitos espaços, apesar do ritmo baixo. Condições perfeitas para a Juventus explanar o seu futebol, com Chiesa e Kulusevski com muito espaço para subir pelas alas. Num lançamento longo de Morata, Ronaldo destacou-se na área e foi derrubado por Cragno. Penálti evidente que o internacional português converteu no segundo golo, com classe, sem balanço, com o pé direito.

Mas ainda havia mais. Na sequência de uma transição rápida, conduzida por Chiesa, CR7 fez mesmo o 3-0, aos 32 minutos, desta vez com o pé esquerdo, com um remate cruzado. Estava completo o hat-trick e Cristiano Ronaldo procurou a câmera de televisão mais próxima e festejou a apontar com o indicador para o ouvido.

A segunda parte seguiu aberta, a Juventus esteve perto de voltar a marcar, mas foi o Cagliari que reduziu a diferença, com um golo de Giovanni Simeone, filho do treinador do Atlético Madrid. Andrea Pirlo mexeu depois na equipa, dando-lhe mais condições para gerir a confortável vantagem sem novos sobressaltos. No último lance do jogo, Cristiano Ronaldo esteve muito perto de transformar o hat-trick num poker e acabou por guardar a bola do jogo.

Como disse Cristiano Ronaldo, a história não pode ser apagada e, como mostrou este domingo, ainda continua a ser escrita.

Com este triunfo, a Juventus destaca-se no terceiro lugar da Série A, a um ponto do Milan e a dez do líder Inter, embora ainda com um jogo em atraso.

*Fonte:

LEIA TAMBÉM

veja mais

veja mais

Copy link
Powered by Social Snap