Egito desinfeta área de pirâmides esvaziadas de turistas

Até o momento, o Egito relatou mais de 400 casos de coronavírus e 21 mortes.
Publicado em 25/03/20 às 03h42
Por redacao

O Egito começou a realizar uma limpeza profunda na área ao redor das pirâmides de Gizé nesta quarta-feira, já que as autoridades estão trabalhando para desinfetar pontos turísticos fechados por culpa do surto de coronavírus.

Operários com máscaras e luvas esfregavam e borrifavam as passagens no entorno das bases das pirâmides, além da cabine de ingressos e de um centro de visitas — mas as próprias estruturas de pedra gigantescas não foram limpas.

Todos os sítios arqueológicos e museus famosos do país, do Museu Egípcio do Cairo ao Vale dos Reis de Luxor, estão fechados desde segunda-feira — as autoridades tentam evitar a disseminação do coronavírus.

Como os voos comerciais estão suspensos, exceto aqueles que estão repatriando os últimos turistas remanescentes, as autoridades vêm esterilizando hotéis e atrações turísticas de toda a nação.

“Começamos a primeira fase da desinfecção, e há outras fases. Estamos no processo de desinfetar todos os pontos turísticos, embora os próprios artefatos exijam materiais específicos e (a limpeza) precise ser realizada por uma equipe especializada de escavadores”, explicou Ashraf Mohie El-Din, diretor-geral da área das pirâmides.

“Estamos fazendo uso deste período para higienizar a área toda, mas também para realizar algum trabalho de manutenção e reforma para deixar esta área pronta para voltar a aceitar visitantes”, acrescentou.

Até o momento, o Egito relatou mais de 400 casos de coronavírus e 21 mortes.

A maioria dos casos está ligada a um navio de cruzeiro do Nilo no qual tanto passageiros estrangeiros quanto tripulantes locais foram diagnosticados, um golpe no setor turístico do país.

Agência Brasil

MATÉRIAS RELACIONADAS