Em reunião, Damares disse que vai pedir prisão de governadores e prefeitos

damares-reunião-prisão
Entretanto, Damares Alves não revelou nomes e disse que seu ministério vai "pegar pegado" contra essas pessoas.
Por João Paulo Castro
Publicado em 22/05/20 às 11h42

Foto: Sérgio Lima/Poder 360

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, fez críticas à ação de governadores e prefeitos favoráveis à manutenção do distanciamento social. Sem revelar nomes, ela afirmou que vai pedir a prisão dos mesmos quando a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) passar.

“A pandemia vai passar, mas governadores e prefeitos responderão processos e nós vamos pedir inclusive a prisão de governadores e prefeitos. E nós tamo subindo o tom e discursos tão chegando. Nosso ministério vai começar a pegar pesado com governadores e prefeitos”, disse.

Damares afirmou que , idosos estariam sendo algemados e jogados dentro de camburões, mulheres estariam sendo jogadas no chão e padres estariam sendo multados em R$ 90 mil por estarem dentro das igrejas com fiéis.

O fato aconteceu na reunião ministerial realizada no dia 22 de abril, em Brasília. Ela é citada pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que acusa Bolsonaro de interferência na Polícia Federal (PF).

Celso de Mello, um dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), quebrou o sigilo da reunião e autorizou ser divulgado nos veículos de comunicação nesta sexta-feira (22).

Ataque

Logo em seguida, Damares ataca o governador do Piauí, Wellington Diniz (PT). “O governador Wellington, agora, ontem, determinou que a polícia poderá entrar nas casas. Vocês não imaginam o que ele vai fazer! Poderá entrar na casa”, comentou.

A ministra afirmou, em poucos palavras, que os policiais podem entrar na casa de governadores e prefeitos.

“A polícia poderá entrar na casa sem mandato. Então, assim, as maiores violações estão acontecendo nesses dias. Então, nós estamos fazendo um enfrentamento, mais de cinco procedimentos o nosso ministério já tomou iniciativa e nós tamos pedindo inclusive a prisão de alguns governadores”, disse.

Encerrando, Damares se dirige ao ex-ministro da Saúde, Nelson Teich, falando que a pasta está lotado de feministas.

“O seu ministério, tá lotado de feminista que tem uma pauta única que é a liberação de aborto. Quero te lembrar ministro, que tá chegando agora, este governo é um governo pró-vida, um governo pró-família. Então, por favor. E aí quando a gente fala de valores, ministro, eu quero dizer que nós estávamos sim no caminho certo”, reitera.

Da Redação com informações da Folha de São Paulo

Leia também: Arthur Neto classifica ataques de Bolsonaro como “strip-tease moral”

damares-reunião-prisão

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap