Ex-Disney morou na rua e ‘assaltou’ um banco para ser preso e largar vício

A história de vida de Joey, desde seu estrelato em Hollywood até as ruas canadenses, será contada no documentário
Por Alessandra Aline Martins
Publicado em 21/11/20 às 07h05

Estrela de filmes infantojuvenis da década de 1980, Joey Cramer já era considerado um ator muito talentoso, ainda na adolescência. A fama estourou após o canadense fazer o papel de David Scott, personagem principal do filme “O Voo do Navegador”, produzido em 1986 pela Disney, quando tinha 13 anos.

O sucesso, no entanto, fez Joey decidir dar uma pausa na carreira artística para “retornar a vida normal”. Contudo, a readaptação à vida comum de um adolescente não foi nada fácil para o ator.

“Eu só queria ser uma criança normal de novo, me divertir, andar de skate e tudo mais. Mas depois que voltei para a escola, não me encaixava em lugar nenhum”, contou Joey em entrevista nesta semana ao jornal Daily Star.

Ele ainda conta que, por ser provocado com a fama de “garoto estrela de cinema”, fez amizades com “os desajustados que fumam, bebem e fumam maconha”.

Hoje, aos 47 anos, Joey recorda que se viciou muito jovem “com 14 ou 15 anos”. Sem emprego e viciado em cocaína, Joey aprendeu a transformar a droga em crack. Ele até procurou ajuda em clínicas de reabilitação, mas, dois anos depois, decidiu procurar novos ares no México.

O tempo passado no país latino fez bem para o já ex-ator. Após o regresso para o Canadá, Joey parou de usar drogas e ficou sóbrio durante dez anos.

Uma recaída, em 2007, acabou trazendo novos problemas para o ator que acabou sendo preso por porte de drogas. Em 2011, más companhias, novamente, arrastaram Joey para o vício, quando uma namorada o apresentou à heroína.

O astro da década de 1980 atingiu o fundo do poço em 2012, quando foi morar nas ruas. O nascimento da filha dele, em 2014, tinha tudo para ser uma motivação para ele ficar limpo novamente. Contudo, o “relacionamento ruim e abusivo” que ele estava tornou isso difícil.

O conselho tutelar tomou a guarda da menina, em 2016, e ao descobrir que a filha seria adotada, Joey pensou que não tinha mais forças. Segundo ele, “o suicídio era um pensamento recorrente” à época.

Ele, então, decidiu ser preso para entrar em um centro de reabilitação, em que receberia tratamento de longo prazo. Para isso, teve a ideia de assaltar um banco.

O método escolhido por foi um “não violento”. Disfarçado com uma peruca, uma bandana e óculos escuros, Joey entrou em uma agência do Scotiabank em Sechelt, no distrito canadense de Columbia Britânica, e entregou um bilhete ao caixa, anunciando o assalto. Com algumas notas de dinheiro na mão, saiu calmamente do local à espera da polícia.

Pronto para retomar a carreira artística, Joey conta que a prisão “foi um alívio”. Além de momentos de meditação, a reabilitação o proporcionou aulas de desenho, em que ele desenhava retratos da filha.

A história de vida de Joey, desde seu estrelato em Hollywood até as ruas canadenses, será contada no documentário “Vida após o Voo do Navegador”, que ele pretende lançar no ano que vem.

Ele ainda sonha em fazer um remake do filme de sucesso, no aniversário de 40 anos da película, em 2026. “Deixe-me ganhar alguns créditos, então talvez possamos abordar a Disney e ver se podemos fazer essa sequência acontecer”, concluiu.

Com informações da Agência Brasil.

Foto: Divulgação.

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap