Ex-gari e analfabeta transforma a vida de 360 crianças pobres

Ex-gari
A ex-gari e analfabeta Rozeli da Silva é de luta e superação e há mais de 10 anos ela vem transformando a vida de mais de 360 crianças pobres, de Porto Alegre.
Por Edilânea Souza
Publicado em 13/07/20 às 04h30

Fotos: Arquivo pessoal

A ex-gari e analfabeta Rozeli da Silva é de luta e superação e há mais de 10 anos ela vem transformando a vida de mais de 360 crianças pobres, de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Dona Rozeli criou a ONG Renascer da Esperança que oferece melhor qualidade de vida às crianças, por meio da Luta. Ela também relata das suas dificuldades, até mesmo por conta do racismo.

“Eu sou gari, preta, pobre, não sabia nem ler e nem escrever. Fui vítima de violência doméstica, vivi em cárcere privado, fui mãe aos 12 anos e por muito tempo, quando não era invisível, era tratada como lixo. Hoje, represento para as crianças que acolhemos a esperança de que existe sim uma saída e que quando acolhemos com amor a nossa história e a de quem está ao nosso redor, podemos mudar o mundo!”.

A ONG é um propósito de vida tão significativo e poderoso para à ex-gari, que contagiou uma legião de pessoas, que se juntaram a ela e hoje levam dignidade, amor e esperança a esses pequenos brasileiros.

A história da Rozeli e da ONG Renascer da Esperança foi descoberta pelos Caçadores de Bons Exemplos, do casal Iara e Dudu, que vendeu tudo o que tinha em 2010 para o rodar o Brasil atrás de bons exemplos.

O sonho da Rozeli

Rozeli foi criada rodeada pela pobreza e que hoje está viva graças às doações de comida que recebia ao pedir de porta em porta. Mas ela decidiu que era importante contar para o mundo que não existe criança da rua.

“Nenhuma delas brotou do asfalto, nasceu nos becos, ou foi colocada ali pela cegonha. Todas têm família e têm história, não cabe a ninguém o direito de dar nomes à elas: trombadinhas ou qualquer outra ofensa, não às representam”, lembra Rozeli.

Desde que começou a trabalhar como varredora de rua, ela entendeu que poderia ser capaz de realizar o que um dia ela sonhou – literalmente – juntar as crianças que vivem na rua e cuidar de cada uma delas, abraçando sua história, seus medos, suas inseguranças e traumas.

Deu certo

A ideia de Rozeli começou a ser abraçada por pessoas que ajudaram a construir a ONG.

Lea, assistente social, foi personagem desse sonho e peça fundamental dentro da construção da ONG Renascer da Esperança.

Por muito tempo, era ela quem escrevia e divulgava as ideias que estavam dentro do coração e da cabeça de Rozeli.

Com a ajuda de muitas outras pessoas da comunidade, o projeto da ONG foi estruturado, graças ao advogado Dr. João Plinio de Almeida, e o analfabetismo da Rozeli foi ficando para trás com o cuidado e paciência da lavadeira Dona Neli.

A sede

Em 1998, três anos depois da estruturação do projeto e de muitos dias e meses com ele embaixo do braço, a ONG ganhou sua sede, duas casinhas de madeira em um grande pátio da União, cedido pelo presidente da empresa em que Roseli trabalhava.

De lá pra cá, tudo mudou. A comunidade veio com braços e peças fundamentais para a estruturação de um lugar de acolhimento, incentivo a educação, ao esporte e, principalmente, ao renascer da esperança na vida de centenas de crianças da região.

Hoje, a ONG Renascer da Esperança cuida de mais 360 crianças e oferece reforço escolar, oficinas extracurriculares e diversas atividades… colhe frutos de um sonho que, com muita dedicação e superação, se tornou real.

Com informações Só Notícia Boa

Ex-gari

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link