‘Fechar hospital de campanha foi um grande erro da Prefeitura de Arthur’, critica Ricardo Nicolau

Ricardo Nicolau relembrou que, à época, chegou a fazer um apelo para que o hospital de campanha, montado no prédio de uma escola, permanecesse em atividade e fosse habilitado
Por Isac Sharlon
Publicado em 19/01/21 às 16h40
hospital campanha leitos
hospital campanha leitos

O deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD) afirmou, durante sessão extraordinária da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) desta terça-feira, 19, que o fechamento do hospital de campanha Gilberto Novaes foi “um grande erro” da administração passada da prefeitura de Manaus. O parlamentar destacou que a unidade tinha condições suficientes para continuar funcionando no sistema público de saúde, independentemente da pandemia.

“O hospital de campanha tinha 180 leitos, tomografia, raio-x digital, laboratório, enfim, era um hospital pronto, funcionando, que atendeu a centenas de pessoas e salvou muitas vidas. Foi um grande erro da prefeitura de Manaus, na administração passada, ter fechado esse hospital. Erro em virtude do coronavírus e erro por ter fechado um hospital que, independentemente da Covid, poderia estar servindo para outras ações de saúde”, disse.

Ricardo Nicolau relembrou que, à época, chegou a fazer um apelo para que o hospital de campanha, montado no prédio de uma escola, permanecesse em atividade e fosse habilitado no SUS para realizar cirurgias eletivas. Apesar do status provisório, a unidade havia consolidado uma estrutura de alta complexidade com todos os setores essenciais de um hospital de grande porte.

“Fiquei muito triste e revoltado com a ação de fechar um hospital. Eu nunca vi poder público fechar um hospital. Acho que isso foi algo inédito, do poder público fechar um hospital. Muito embora tenha sido feito um hospital ‘de campanha’, mas foi um hospital que ficou com a complexidade e as condições necessárias para dar continuidade ao tratamento”, apontou o deputado.

O parlamentar também frisou que a saúde pública tem competência concorrente, ou seja, todas as esferas de poder devem atuar em conjunto para combater a Covid-19. “As ações precisam ser feitas por todos. Não há competência exclusiva do governo federal, estadual ou municipal. É hora de todos darem as mãos, ir pra linha de frente ajudar no que puder. Estamos à disposição 24 horas para ajudar a população”, concluiu.

hospital campanha leitos

veja mais

veja mais

Copy link
Powered by Social Snap