Fifa propõe baixar salários de atletas em encontro com associações de clubes e jogadores

De acordo com diário "Marca", fica acertada a criação de um fundo para membros da comunidade do futebol e que clubes europeus não podem rescindir contratos durante paralisação
Publicado em 27/03/20 às 02h13
Por Leonardo Moreira

A Fifa se reuniu nesta quinta por videoconferência com a Associação de Clubes Europeus (ECA) e com a Federação Internacional de Jogadores Profissionais (FIFPro) para discutir como amenizar o impacto da paralisação de campeonatos em decorrência da pandemia de coronavírus. Segundo o jornal Marca, a principal medida imposta pela entidade foi a que jogadores negociem uma redução considerável em seus salários.

Essa decisão entraria em vigor durante a paralisação dos campeonatos e não é linear, ou seja, não tem impacto igual para todos os clubes e atletas envolvidos. De acordo com a publicação, os mais afetados seriam aqueles com maior poder econômico.

Um dos campeonatos que avaliam essa proposta é a Premier League. Essa medida atingiria até 50% dos salários dos jogadores da competição.

Outras duas medidas acertadas nessa reunião segundo o jornal são que os clubes europeus não poderam rescindir com atletas e treinadores enquanto os campeonatos estão paralisados e a criação de um fundo econômico com o intuito de manter a estrutura do futebol atual. A ideia do fundo é juntar centenas de milhões de euros e envolver todos os membros da comunidade do futebol: a Fifa, as confederações, os clubes e os atletas.

Um dos problemas discutidos, ainda, foi a duração do contrato dos jogadores, já que muitos deles têm os vínculos terminando no dia 30 de junho, quando estava previsto o fim da temporada atual. Com isso, eles seriam automaticamente estendidos para a nova data de término da temporada.

Leia Também: Jon Jones é preso por dirigir bêbado e uso negligente de arma de fogo

Fonte: Globo Esporte

Leonardo Moreira

Jornalista | Redator

MATÉRIAS RELACIONADAS