sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

Bastidores da Política, Política / Brasil

Filiado ao PL, Ramos diz que não estará no palanque de Bolsonaro

Mais cedo nesta hoje, dirigentes locais do PL se reuniram com Valdemar e deram carta branca ao presidente da sigla para negociar a filiação de Bolsonaro

O deputado Marcelo Ramos (PL-AM), 1º vice-presidente da Câmara, disse que não estará no palanque de Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2022. O presidente da República está em negociação para se filiar ao partido ao qual Ramos pertence.

A manifestação foi enviada por mensagem a jornalistas no começo da noite desta quarta-feira feira (17). O deputado mencionou o presidente do partido, Valdemar Costa Neto, com quem Bolsonaro mantém conversas.

“Vou aguardar voltar ao Brasil para tratar com o presidente Valdemar, que merece todo meu respeito. Só tenho uma certeza: respeito qualquer decisão do partido, mas não estarei no palanque de Bolsonaro”, escreveu o deputado.

Mais cedo nesta hoje, dirigentes locais do PL se reuniram com Valdemar e deram carta branca ao presidente da sigla para negociar a filiação de Bolsonaro.

O chefe do Planalto disse na semana passada que estava próximo de se filiar à legenda de Valdemar.

Eles chegaram a marcar um evento para Bolsonaro assinar a ficha –seria na próxima segunda-feira (22). Mas impasses sobre diretórios regionais fizeram a conversa esfriar e o evento ser desmarcado.

O presidente da República precisa se filiar a um partido para disputar a reeleição em 2022. Ele foi eleito pelo PSL em 2018, mas entrou em atrito com a direção da sigla e se desfiliou em 2019. Tentou criar uma legenda própria, mas não conseguiu.

Marcelo Ramos se tornou vice-presidente da Câmara em aliança com Arthur Lira (PP-AL), que atualmente comanda a Casa. Lira é aliado de Bolsonaro, mas Ramos é crítico ao governo.

Leia a íntegra da nota do deputado:

“Na política, o bem do partido e o nosso próprio bem deve estar submetido ao bem do país. Só isso pode dar razão ao exercício da política. Mas não quero me precipitar. Vou aguardar voltar ao Brasil para tratar com o presidente Valdemar, que merece todo meu respeito. Só tenho uma certeza: respeito qualquer decisão do partido, mas não estarei no palanque de Bolsonaro.”

MATERIAS RELACIONADAS

Copyright © 2022 Portal Tucumã.
Copy link
Powered by Social Snap