Fim da quarentena divide a opinião de empresários

A decisão virou tema de discussão entre os empresários que se dividem, sendo a favor e contra a medida.
Por redacao
Publicado em 27/03/20 às 03h53

Por conta da pandemia de coronavírus, muitos estabelecimentos comerciais seguiram as autoridades da Organização Mundial de Saúde (OMS) e fecharam as portas por tempo indeterminado. A decisão virou tema de discussão entre os empresários que se dividem, sendo a favor e contra a medida.

Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro se referiu à paralisação de atividades como “confinamento em massa”. Ainda segundo ele, os resultados podem ser negativos para a economia.

Para o proprietário de uma loja de confecções localizada no centro de Manaus, Estevão Hassam, a pausa nas atividades foi necessária para preservar a saúde dos colaboradores e clientes. No entanto, é importante não demorar.

“Parar por alguns dias, tudo bem. Mas precisamos retomar os trabalhos para não prejudicar ninguém e evitar, principalmente, o risco de demissões em excesso”, avaliou o empresário.

Ainda de acordo com Hassam, este é um dos momentos mais propícios para o comércio. “Estamos para começar as vendas para o Dia das Mães, que é o nosso segundo Natal. Então, não podemos parar. Meus funcionários também têm suas contas para pagar e dependem deste trabalho”, pontuou.

Atuando no ramo alimentício há 15 anos, Janaína Andrade, também já começou a sentir os efeitos da paralisação do comércio. O seu restaurante teve que interromper as atividades assim que os primeiros casos de Covid-19 em Manaus foram confirmados.

“Entendo perfeitamente a situação. E, como trabalho com alimentos em geral, meu cuidado precisa ser ainda maior tanto com os meus produtos, meus funcionários e meus clientes – a maioria deles já fixos”, comentou. “Tivemos que fechar as portas por uma questão de grandes proporções e acredito que a situação ainda possa se estender, por isso, estamos trabalhando apenas com o serviço de entrega”, acrescentou.

Manifestação

Por todo o país, trabalhadores de diferentes segmentos já fazem manifestação pelo fim da quarentena. A maior parte deles é formada por autônomos e informais.

A manifestação é consequência da defesa por parte do presidente Jair Bolsonaro de que a quarentena seja suspensa ou mesmo flexibilizada para não prejudicar a economia do país

Para parte dos empresários, a quarentena é uma ameaça para os empregos no país.

Na próxima segunda-feira (30), a partir das 10h, haverá uma manifestação pelo fim da quarentena em Manaus. Empresários, profissionais liberais, motoristas de aplicativo, entre outros deverão participar do ato.

MATÉRIAS RELACIONADAS