Portal Tucumã
Copyright ©2022 Portal Tucumã.
Todos os direitos reservados.

13 de agosto, 2022

Homem que esfaqueou vendedora de salgados por lhe negar relacionamento amoroso é condenado a prisão

O pedreiro José Luiz Melo Lopes, 36, acusado de esfaquear uma mulher que lhe negou relacionamento amoroso em junho de 2018, foi condenado a prisão nesta quinta-feira (17) durante audiência realizada na sede do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), localizado na avenida André Araújo, zona Sul de Manaus.

José foi condenado a 17 anos e seis meses de prisão em regime fechado, sendo julgado pelo crime de homicídio, baseado no artigo 121, parágrafo 2º, inciso I e IV, do Código Penal Brasileiro.

A juíza Ana Paula de Medeiros Braga, titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri, que deu a sentença para José.

“A vítima foi assassinada em sua residência, tendo suas vísceras expostas na presença de sua filha menor de idade, o que agrava a conduta do réu. As consequências do crime, de igual forma, serão valoradas de forma negativa, pois a morte da vítima com filhos menores é fundamento válido para justificar o desvalor das consequências da prática delitiva, pois extrapola em muito os limites inerentes ao tipo penal”, disse a juíza.

Relembre o caso

José Luiz Melo Lopes esfaqueou a vendedora de salgados Caroline de Souza Costa, 25, no dia 21 de junho por volta das 17h30. Ela estava trabalhando sua residência que fica localizada no bairro Santa Etelvina, zona Norte de Manaus.

O pedreiro chegou na casa de Caroline e pediu a jovem em namoro, mas ela recusou a proposta. Irritado com a situação, José Luiz deferiu cinco facadas nas costas. A mãe de Caroline presenciou a cena.

Wellington Costa Rodrigues, 34, irmão da vítima, chegou a dizer em depoimento que Caroline não conhecia José, mas que era muito assediado pelo fato de “ser bonita”.

Ele vai cumprir a pena no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) 2, localizado na rodovia federal BR-174, onde estava preso de forma preventiva desde junho do ano passado.

João Paulo Castro com informações do Tribunal de Justiça do Amazonas

MATERIAS RELACIONADAS