Ifam inaugura estação experimental de Aquicultura em Itacoatiara

A estrutura foi montada para avaliar a potencialidade do peixe amazônico Geophagus altifrons para uso na piscicultura

Os peixes, ricos em vitaminas, cálcio, ferro e selênio, são fontes de cálcio e vitamina D, e ajudam na saúde óssea prevenindo a osteoporose. Possuem vitaminas do complexo B que fortalecem o sistema nervoso e ajudam no crescimento e bom estado da pele, unhas e visão. Além disso, incluir peixes na dieta previne doenças cardíacas, faz bem para o cérebro e imunidade.

Pois possuem, ainda, proteínas, vitaminas, minerais e gorduras boas, como o ômega 3, essenciais para o corpo.

E o Amazonas investe bem muitos recursos anualmente na cadeia de produção com alevinos, equipamentos, e treinamentos dos trabalhadores envolvidos nessa modalidade que é, para muitos, a única fonte de renda tanto para aquicultura como para a piscicultura, modalidades bem distintas.

Enquanto a primeira abrange todos os tipos de espécies aquáticas, independentemente de viverem em água doce ou salgada, desenvolve técnicas de reprodução e cultivo de organismos aquáticos, como peixes, moluscos, algas, crustáceos e até tartarugas ou jacarés, a piscicultura é uma atividade focada na criação, desenvolvimento e comércio de peixes

E, nessa quinta-feira (2), o Instituto Federal do Amazonas (Ifam), campus Itacoatiara, inaugurou a Estação Experimental de Aquicultura, que conta com dois laboratórios construídos a partir do financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa no Amazonas (Fapeam).

O projeto é coordenado pelo professor Rondon Yamane, tem como objetivo desenvolver um sistema de aquaponia a partir de um método alternativo de construção visando à montagem de tanques para produção de peixes com baixo custo utilizando o bambu como principal matéria prima.

Outro projeto, coordenado pelo professor Erico Luis Hoshiba Takahashi, do Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia (ICET/Ufam), possui uma estrutura que conta com 15 caixas d´água em sistema de recirculação de água.

A estrutura foi montada para avaliar a potencialidade do peixe amazônico Geophagus altifrons – uma espécie de acará – para uso na piscicultura.


O objetivo desse evento foi apresentar para a comunidade os novos laboratórios, além de agradecer e prestar contas aos parceiros dos projetos: Litiara Indústria Cerâmica da Amazônia Ltda, Ambev e Caru Eco Camping.


Representantes da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), da Litiara Indústria Cerâmica da Amazônia Ltda, do IDAM e da sociedade civil participaram da cerimônia de inauguração da Estação Experimental de Aquicultura “Francisco Orlando Jordão”, uma homenagem ao grande parceiro do campus, que faleceu no último dia 15.


Estas primeiras unidades experimentais, além de gerar conhecimento a partir das pesquisas realizadas, servirão de laboratórios práticos para a formação os discentes das duas instituições.

Com informações da assessoria

MATERIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap