Jovem foi morto por comerciante em legítima defesa, diz delegado

Segundo a DEHS, o comerciante travou luta corporal com o jovem Alexandre da Silva Marinho, 18, tomou a arma dele e efetuou dois disparos.
Por João Paulo Castro
Publicado em 15/05/20 às 10h21
jovem morto justiceiro

Foto: Hilary Azevedo/Portal Tucumã

Um comerciante até o momento não identificado foi o responsável por atirar contra o jovem Alexandre da Silva Marinho, 18, após uma tentativa de assalto na rua 26 de Agosto, bairro Riacho Doce 2, Zona Norte de Manaus, na noite desta sexta-feira (15).

De acordo com o delegado Fábio Silva, plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o comerciante travou luta corporal com Alexandre, agindo em legítima defesa.

“Trata-se de uma tentativa de assalto, o proprietário do estabelecimento travou uma luta corporal com o autor do crime, conseguiu tomar a arma e efetuou os disparos. O ideal da legítima defesa é que a pessoa se apresente à polícia em espontaneidade”, contou.

No entanto, o proprietário do estabelecimento não se apresentou à polícia, o delegado informou que ele pode ser considerado foragido, mas sem grandes prejuízos.

Bastante abalados, a mãe e a prima do rapaz não quiseram gravar entrevista com a equipe de reportagem do Portal Tucumã.

A polícia fez o isolamento da área para evitar aglomeração e chegada de curiosos. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para fazer a remoção do corpo da vítima.

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) vai fazer uma investigação em torno do caso.

Linchamentos

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) registrou mortes de assaltantes que foram linchados por populares. Fábio comentou a respeito da situação.

“O que não pode ter o linchamento, pois trata-se de homicídio, é diferente da legítima defesa. Basta que a pessoa se apresente, ela vai ser ouvida e a Justiça vai definir o que fazer”, comentou.

Ele lembrou de um linchamento que aconteceu no conjunto Viver Melhor 3, bairro Lago Azul, Zona Norte da capital, no dia 03 de fevereiro. O jovem Luciano Sena Aded, 19, foi baleado suspeito de cometer assaltos nas imediações.

Luciano foi agredido com socos, chutes e pontapés em um campo de futebol, a agressão só terminou quando os policiais militares da 13ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) chegaram no local e solicitaram ajuda do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

Por João Paulo Castro com informações de Davi Souza

jovem morto justiceiro

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link