quinta-feira, 18 de agosto de 2022

Justiça condena 4 e absolve filho de Flordelis por morte de pastor

Embora tenha sido condenado por associação criminosa, Carlos Ubiraci, filho adotivo de Flordelis, foi absolvido da acusação de homicídio
flordelis morte pastor

Após mais de 20 horas de julgamento, o 3º Tribunal do Júri de Niterói condenou quatro réus por participação na morte do pastor Anderson do Carmo, marido da deputada cassada Flordelis dos Santos de Souza. Entre os acusados, consta o filho adotivo da ex-parlamentar – que recebeu condenação por associação criminosa, mas foi absolvido em relação ao envolvimento na morte do pastor.

Foram condenados:

Carlos Ubiraci Francisco da Silva, filho afetivo da ex-parlamentar, por associação criminosa, com pena de 2 anos e 2 meses, com início semiaberto. Ele, no entanto, foi absolvido da acusação de homicídio triplamente qualificado e de tentativa de homicídio;

Adriano dos Santos Rodrigues, filho biológico da pastora, por uso de documento falso e associação criminosa, a 4 anos e 6 meses em regime semiaberto;

Marcos Siqueira, ex-policial, por uso de documento falso e associação criminosa, a 5 anos e 20 dias de prisão em regime fechado;

Andrea Santos Maia, esposa do ex-policial, por uso de documento falso e associação criminosa, a 4 anos e 3 meses em regime semiaberto.

O quinto réu, André Luiz de Oliveira, filho afetivo da ex-parlamentar, será julgado em nova data. Ele não participou, porque seu advogado passou mal. Flordelis e mais três rés serão julgadas em 9 de maio.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, André Luiz e Carlos Ubiraci Francisco da Silva participaram de ao menos seis planos frustrados de envenenamento do pastor Anderson. Eles foram denunciados pelo homicídio.

Segundo as investigações, Adriano repassou a Flordelis carta fraudada, na qual Lucas Cézar dos Santos assumia que atirou no pastor a mando de dois irmãos. Lucas Cézar, que teria comprado a arma do crime, e Flávio dos Santos Rodrigues, filho biológico, acusado de atirar no padrasto, foram condenados ano passado.

Adriano é acusado de ter buscado a correspondência com Andrea, esposa de Siqueira. Ele estava preso com Lucas, no presídio Bandeira Stampa, no Complexo de Gericinó.

No mesmo local, encontravam-se detidos Flávio e Siqueira, que cumpre pena por uma chacina ocorrida em março de 2005, na Baixada Fluminense.

A ex-parlamentar teria pago R$ 2 mil pela elaboração da carta. Adriano, Andrea e Marcos não respondem por homicídio, mas por outros crimes, como associação criminosa, uso de documento falso e falsidade ideológica.

Flordelis no banco dos réus

A deputada federal cassada Flordelis dos Santos de Souza sentará no banco dos réus no dia 9 de maio. Na ocasião, estarão ao lado da pastora a filha biológica Simone dos Santos Rodrigues; a neta Rayane dos Santos Oliveira; e a filha afetiva Marzy Teixeira da Silva.

Em janeiro de 2021, em depoimento à Justiça, Simone admitiu ter dado dinheiro para sua irmã, Marzy, matar o padrasto. Ela alegou ter feito o pedido por desespero, porque não aguentava mais as investidas sexuais por parte de Anderson.

Simone afirmou que não arquitetou plano para matar o pastor, mas deu R$ 5 mil para Marzy ajudá-la. Segundo a filha de Flordelis, as investidas do padrasto iniciaram depois que ela foi diagnosticada com câncer, em 2012.

A ex-parlamentar nega ter mandado matar o marido com quem foi casada por mais de 20 anos.

Uma das estratégias de sua defesa consiste em focar as investidas sexuais do pastor Anderson. Essas acusações, entretanto, nunca foram comprovadas nas investigações da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí.

LEIA TAMBÉM: Mascote da Copa do Mundo do Catar é apresentado em sorteio; CONFIRA 

Acompanhe outras noticiais nas redes sociais do Portal Tucumã

Tags:
Compartilhar Post:
Veja Também