Moradores de rua reivindicam melhorias de abrigos mantidos em SP

Grupo reivindica melhores condições nos abrigos e acesso aos serviços de saúde, incluindo produtos de higiene e proteção ao novo coronavírus;
Por Alan Lima
Publicado em 08/07/20 às 02h17

Em São Paulo, um grupo de moradores de rua está acampado no entorno da Prefeitura de São Paulo, no centro da cidade.  O grupo reivindica melhorias em abrigos mantidos pela administração municipal e incluem serviços de saúde, higiene pessoal e proteção no combate ao novo coronavírus.

A Prefeitura de São Paulo, por meio de nota, informou que as reivindicações dos movimentos em situação de rua estão sendo atendidas desde o início da pandemia de acordo com o decreto 59.283/2020.

A prefeitura destacou ainda que as secretarias de Assistência e Desenvolvimento Social, Esporte e Lazer e Educação criaram 1.072 novas vagas para acolhimento de pessoas em situação de rua, sendo 672 em oito equipamentos emergenciais, e outras 400 foram criadas em quatro Centros Educacionais Unificados (CEUs), Alvarenga (Cidade Ademar), Aricanduva (Itaquera), Tiquatira (Penha) e Meninos (Ipiranga). Todos funcionam 24 horas.

Um abrigo na Lapa é destinado a pessoas com suspeita de covid-19 e outro na região da Vila Clementino atende pessoas com diagnóstico positivo para o novo coronavírus.

Segundo a prefeitura, os Centros de Acolhida têm as estruturas higienizadas constantemente e são mantidas as janelas abertas. Nos quartos, as camas foram colocadas em distância segura. As visitas estão suspensas. 

Ressalta que foram distribuídos 3,6 mil kits de higiene, além da doação de 80 mil máscaras. Sanitários e 11 lavatórios foram instalados no centro com água potável.

De acordo com o Censo da População em Situação de Rua 2019, 24.344 pessoas estão nas ruas na cidade de São Paulo, sendo que 11.693 foram acolhidas nos serviços da rede socioassistencial e 12.651 em situação de rua.

Com informações do R7

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link