Portal Tucumã
Copyright ©2022 Portal Tucumã.
Todos os direitos reservados.

11 de agosto, 2022

Nem só de ração se vive: como gatos reagem a frutas

Ao contrário do que muitos podem pensar, o fornecimento de frutas também ajuda no bem-estar desses animais
(Foto: Arquivo pessoal)

Manaus (AM) – Os gatos estão presentes em boa parte dos lares brasileiros. Alguns são tidos até como filhos. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 19,3% das residências do país possuem pelo menos um felino. E um bom dono de pet sabe como mimar o bicho.

Seja com brinquedos, carinho ou a comida preferida, há muitas formas de deixar os bichinhos felizes. A mais conhecida é a oferta de petiscos. Mas será que os tira-gostos estão restritos apenas aos industrializados?

Ao contrário do que muitos podem pensar, o fornecimento de frutas também ajuda no bem-estar desses animais. Porém, por mais benéficos e saborosos que sejam os alimentos naturais, a ração continua sendo a base da dieta felina.

O segredo é maneirar

O médico veterinário Calleb Gama dá orientações sobre os riscos e benefícios de consumir das frutas. “A alimentação para os felinos deve ser exclusiva de ração, de modo que as frutas ajam como complemento ao cardápio, em pequenas porções e com pouca frequência”, aponta.

As comidas naturais mais comuns de se ofertar são a banana e a maçã. Respectivamente, auxiliam no bom funcionamento dos rins e coração pela alta concentração de potássio, e possuem boa quantidade de fibra e açúcares.

Além dessas, damasco, pera, mamão, melão e melancia também podem ser fornecidas, desde que sem sementes, incluindo a maçã.

Ao enfatizar que não devem interferir na nutrição principal, Gama explica que as frutas podem ser oferecidas aos felinos após a transição do leite para ração, a partir dos 2 meses de idade.

Restrições

Nem tudo é permitido. Por conta da acidez, a ingestão de frutas cítricas (como uva, caqui, abacaxi, acerola, morango, pêssego, tangerina, laranja, limão etc.) é prejudicial ao estômago dos bichos, e pode causar indigestão e até intoxicação.

Dados publicados na revista científica do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), revelaram que, anualmente, os gatos correspondem a 18% dos casos de intoxicação registrados em clínicas veterinárias.

Todo gato gosta?

A atriz e jornalista amazonense, Iris Brasil, é uma autêntica “mãe de pet”. Seus dois gatos, Xinani e Yoyo, não têm apetite por frutas cruas, embora já tenha oferecido. Contudo, Xinani consome uma ração na qual vai pedaços de romã. Dessa forma, acontece a introdução da fruta na refeição de um dos gatinhos.

“A alimentação deles é basicamente a ração seca e o sachê, que por ser húmido, ajuda na hidratação. Já vi alguns gatos comerem frutas, mas os meus nunca gostaram”, comentou Iris.

Gato comendo comida de gente. Pode?

Em algumas casas brasileiras, os donos costumam dar as sobras de suas refeições aos animais de estimação. Entretanto, oferecer restos de alimentação humana aos gatos é estritamente proibido, visto que os temperos utilizados no preparo são extremamente tóxicos aos bichinhos.

“Caso os tutores optem por dar comida aos pets, que seja sem tempero algum, somente fervidas em água e uma pitada de sal”, orienta Calleb Gama.

Por fim, o profissional especializado na saúde dos animais alerta aos “pais de pets” para que, antes de introduzirem qualquer alimento na refeição dos bichanos, consultem um médico veterinário de confiança.

Leia mais: Cães e gatos terão atendimento gratuito em universidade de Manaus; veja horário

Receba notícias do Portal Tucumã no seu Telegram e fique bem informado! CLIQUE AQUI: https://t.me/portaltucuma

MATERIAS RELACIONADAS