Novo presidente do TCE esteve em Governos de Gilberto Mestrinho, Braga, Amazonino, Omar e Melo

Assume nesta segunda-feira (16), para o comandar a presidência do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), no biênio 2020-2022, o conselheiro Mário Manoel Coelho de Mello, primo do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello. Carreira Mário de Mello ocupou ao longo de 30 anos o cargo de secretário de Estado da Representação […]
Por Henderson Martins
Publicado em 16/12/19 às 08h02

Assume nesta segunda-feira (16), para o comandar a presidência do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), no biênio 2020-2022, o conselheiro Mário Manoel Coelho de Mello, primo do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello.

Carreira Mário de Mello ocupou ao longo de 30 anos o cargo de secretário de Estado da Representação do Amazonas em Brasília, nos governos de Gilberto Mestrinho, Amazonino Mendes (sem partido), Eduardo Braga (MDB), Omar Aziz (PSD) e José Melo (Pros).

Indicação Política Ao ser indicado pela Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), em 2015, a vaga deixado pelo conselheiro Raimundo José Michiles, Mário de Mello assumiu o cargo após receber 22 votos favoráveis dos deputados estaduais, com um voto contrário do deputado José Ricardo (PT), que declarou a existência de indicação política.

Vai ser esse Os comentários na época, era que o ex-governador José Melo, havia batido o martelo para que Mário de Mello assumisse o cargo vitalício na Corte de Contas com salário de R$ 30.471,10, naquele período.

Sonho Naquele momento, David Almeida (Avante) era líder do Governo José Melo, e defendia com todas as “garras” Melo, com o sonho de assumir a cadeira vitalícia no TCE, sonho esse que foram frustrados, após a indicação de Mário de Mello.

Novo sonho Os sonhos de David Almeida mudaram de rumos após a cassação de José Melo. Já presidente da ALE-AM, Almeida “abocanhou” o comando do Governo do Estado como governador interino.

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link