“O presidente é corresponsável por muitas mortes da Covid-19”, dispara Arthur contra Bolsonaro

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), concedeu entrevista à revista 'Time' para falar sobre o impacto da pandemia.
Por joao.castro
Publicado em 21/05/20 às 07h00
arthur dispara bolsonaro

Foto: Marcio James/Semcom e Sérgio Lima/Poder 360

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), declarou que o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) é responsável por muitas mortes causadas pelo novo coronavírus (Covid-19) no Brasil.

A declaração foi feita durante entrevista para o jornal ‘Financial Times’ e a revista ‘Times’ nesta quinta-feira (21).

“O presidente é corresponsável por muitas mortes da Covid-19. Com uma pregação irresponsável, quase delinquente, ele encoraja as pessoas a irem às ruas. Ele levou muitas pessoas à morte”, disse o prefeito à revista ‘Time’.

Para o jornal ‘Financial Times’, Arthur Neto lamentou a dimensão que o coronavírus tomou e que não era dessa forma que gostaria que Manaus fosse retratada.

“Não era dessa forma que queríamos ganhar notoriedade no mundo. Temos muitas coisas boas para mostrar, mas essa é a nossa realidade atual, infelizmente. E precisamos que o mundo nos olhe agora, já que o presidente está cego para a pandemia e seus efeitos desastrosos. São preocupantes os dados apresentados pelas publicações. Como podemos ficar quietos diante de um quadro assustador, com tanta gente morrendo e os nossos hospitais lotados, nas capitais e no interior, de pessoas doentes?”, explica.

Dados

De acordo com boletim divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), o Amazonas soma 25.367 casos confirmados por Covid-19, sendo 12.317 em Manaus e 13.050 no interior, e 1.620 mortes causadas pelo vírus.

Atualmente 529 pacientes internados, sendo 316 em leitos clínicos (43 na rede privada e 273 na rede pública) e 213 em UTI (72 na rede privada e 141 na rede pública).

Em contrapartida, o Amazonas tem 19.734 pessoas que testaram positivo para o coronavírus estão fora do ciclo de transmissão, ou seja, curadas. 3.484 pessoas estão em isolamento social ou domiciliar.

Da Redação com informações da Assessoria

MATÉRIAS RELACIONADAS