Manaus, 9 de julho de 2020

Oposição do Corinthians entra na Justiça pedindo afastamento de Andrés Sanchez

Eleito em março de 2018, Andrés Sanchez tem mandato até o final do ano. Corinthians fechou em 2019 uma dívida de R$ 665 milhões.
Por João Paulo Castro
Publicado em 29/06/20 às 02h30
andrés-sanchez-afastamento

Foto: Gero Rodrigues/Folhapress

Um grupo de oposição do Corinthians ingressou uma ação judicial na manhã desta segunda-feira (29) solicitando a saída do atual presidente do clube, Andrés Sanchez. O documento alega desrespeito ao estatuto do Corinthians e gestão temerária por parte do atual presidente.

O processo foi aberto na 4ª Vara Cível do Tatuapé e tem assinatura de 19 pessoas, sendo 13 conselheiros que pertencem ao “Frente Liberdade Corinthiana”.

Além disso, o pedido mostra que, em 2019, o clube contraiu R$ 70 milhões em empréstimo junto a dois bancos sem solicitar aprovação interna. Caso Andrés seja afastado da presidência, o cargo passa a ser ocupado por Edna Murad Hadlik, primeira vice do clube.

A “Frente Liberdade Corinthiana” diz contar com 16 conselheiros atualmente. O grupo terá uma chapa para disputar a eleição para o Conselho Deliberativo em novembro, mas não contará com um candidato à presidência.

Eleito em março de 2018, Andrés Sanchez tem mandato até o fim deste ano. Andrés não pode tentar a reeleição no pleito de novembro e, até o momento, não definiu se irá apoiar algum candidato.

Hoje o Corinthians enfrenta uma crise administrativa, financeiramente vem ruim desde 2019. O clube fechou 2019 com uma dívida de R$ 665 milhões e atualmente deve dois meses de salário ao elenco.

Da Redação com informações do Globo Esporte

Leia também: Brasileiro é nocauteado de forma brutal no UFC Vegas 4

andrés-sanchez-afastamento

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap