Pacientes são amarrados por falta de sedativos em Parintins

Caso ganhou repercussão nacional, após denúncias por parte dos funcionários do hospital
Por Karol Maia
Publicado em 23/02/21 às 09h42

Funcionários (enfermeiros e médicos) de hospital no município de Parintins gravaram vídeos para mostrar pacientes intubados, devido a Covid-19, que estavam amarrados em macas pela falta de sedativos. O caso ganhou repercussão nacional após as denúncias.

Ao ser procurada para prestar esclarecimentos, a secretaria municipal de saúde de Parintins informou que o conteúdo compartilhadas era falso. Entretanto, a Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM), confirmou a veracidade das imagens apresentadas por meio de denúncia e o esse caso segue sendo investigado.

A Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), informou por meio de nota informou que, justamente para evitar ausência do insumo, havia enviado sedativos para a unidade de Parintins no sábado ( ). Ainda segundo a secretaria, município não havia informado sobre a ausência de sedativos e que os pacientes estavam sendo amarrados.

A presidente da Associação de Medicina Intensiva Brasileira disse que diante da situação de não ter sedativos, o procedimento de amarrar o paciente não está errado e explicou o que pode acontecer quando acaba o efeito da sedação.

“A primeira coisa que pode acontecer é uma auto-extubação. Ele tira o tubo e isso pode levar, inclusive, a uma parada cardíaca. É desumano a gente pensar em uma pessoa que vai ser mantida em uma ventilação mecânica, em uma ventilação artificial, sem estar sob analgesia e uma boa sedação. Porque ela vai sentir desconforto, ela vai sentir ansiedade, ela vai sentir medo. E tudo isso vai levar a consequências muito graves mesmo que não na hora, no futuro. Pode levar a várias consequências traumáticas para essa pessoa”, explica Suzana Lobo, presidente da Associação Brasileira de Medicina Intensiva.

*Com informações: Jornal Nacional

LEIA TAMBÉM

veja mais

veja mais

Copy link
Powered by Social Snap