Pazuello anuncia 354 milhões de doses de vacina contra o coronavírus

Pazuello disse que 210 milhões de doses estão sendo incorporadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com a tecnologia da farmaceutica Astrazaneca, que produz a vacina Oxford
Por Edilânea Souza
Publicado em 11/01/21 às 11h58
Doses
Doses

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello disse que negocia 354 milhões de doses de vacina contra o novo coronavírus para imunização em massa da população brasileira.

Pazuello disse que 210 milhões de doses estão sendo incorporadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com a tecnologia da farmaceutica Astrazaneca, que produz a vacina Oxford. O outro lote deverá ser do Instituto Butantã, com cerca de 6 milhões de doses da farmacêutica Sinovac, da China.

O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (11), durante visita de Pazuello em Manaus sinalizando que o Ministério da Saúde já empenhou essa quantidade de doses.

O ministro da Saúde destacou ainda, que contará com a importação de mais 2 milhões de doses importadas da Índia, que já tem parte da documentação para o uso de emergência e a liberação logística das doses para o Brasil. “Já temos a autorização para importação e de exportação, já pagamos e estamos negociando a saída dessas doses da Índia, que deve acontecer nos próximos dez dias”, afirmou Pazuello.

Outra vacina anunciada por Pazuello é a russa Sputnik, que ainda não apresentou a terceira fases de testes no Brasil. Segundo Eduardo Pazuello, a Sputink fabricada no Brasil deverá estar disponível apenas em abril ou maio.

Ele destacou que ainda não efetuou a compra mais há inteção de negociar com uma empresa privada, com um memorando de entendimento de cerca de 50 milhões de doses.

“Quando ele iniciarem a fase três é daqui a noventa dias. A fabricada no Brasil para a Anvisa fazer a autorização de uso vai ser lá para abril ou maio. Com a Sputinik eu fiz apenas um memorando de entendimento para 50 milhões de doses e quando andar um pouco mais eu posso ir para um contrato”, ressaltou o ministro.

Quanto as vacinas da Pfizer, Moderna e da Johnson ainda não há negociação por conta dos valores cobrados pelas farmacêuticas, além da entrega que está prevista para o segundo trimestre e pela quantidade que elas disponibilizaram para o Brasil. Mesmo assim Pazuello garantiu que vai comprar cerca de 3 milhões de doses.

Na ocasião, participaram da solenidade o governador do Amazonas Wilson Lima (PSC), o prefeito de Manaus David Almeida (Avante) e demais prefeitos dos municípios do Amazonas.

Plano de vacinação

O plano de vacinação está previsto para acontecer em três fases: a primeira deverá começar no dia 20 de janeiro, a segunda no dia 20 de janeiro a 10 de fevereiro e a terceira para 10 fevereiro a março.

O chefe do Ministério da Saúde disse que as vacinas serão distribuídas de forma simultanea em todos os estados e que cada um deverá montar o plano logístico para distribuir aos municípios.

“Como é no PNI [Plano Nacional de Imunização]? No PNI, cabe ao ministério fazer chegar aos estados e municípios. O plano logístico é individualizado por estado, por isso a gente fala que cada estado tem seu próprio plano. O do Amazonas é totalmente diferente do Pará ou do Maranhão”, disse o ministro. “O plano do estado já existe. Ele só esta sendo adequado. E essa adequação é muito específica. E o plano do município é de execução”, afirmou Pazuello.

Pazuello ressaltou ainda, que as prefeituras do Amazonas devem está preparadas para receber as doses de vacina, como salas de vacinação, geladeiras para acondicionamento das vacinas, depósitos e as UBSs estarem prontas para à vacinação.

Envio de Profissionais da Saúde

Ainda durante a coletiva em Manaus, Pazuello anuncio que o Ministério da Saúde enviará a ajuda de mais 500 profissionais da saúde para o enfrentamento do vírius no Estado. Os profissionais fazem parte do programa do governo federal “Brasil Conta Comigo”.

UBSs abertas

Eduardo Pazuello afirmou ainda durante visita, que o tratamento precoce é o que tem maior resultado no combate ao vírus, porém o atendimento básico na saúde precisa funcionar e para isso disse que as Unidades Básicas de Saude (UBSs) precisam estar todas abertas para atendimento da população manauara.

Leia mais: Pazuello garante vinda de 500 profissionais de saúde para atuar no combate à Covid-19 no AM

Doses

veja mais

veja mais

Copy link
Powered by Social Snap