Recuperada, Débora Mafra diz que trabalhará com gabinete ‘aberto’ para receber a população

Pré-candidata Débora Mafra
Débora Mafra é pré-candidata a vereadora de Manaus pelo PSC
Por Edilânea Souza
Publicado em 07/08/20 às 03h50

Foto: Alailson Santos

A pré-candidata a vereadora de Manaus, delegada Débora Mafra (PSC), esteve no programa Resenha Política, do Portal Tucumã, nesta sexta-feira (7), falando sobre o aniversário da Lei Maria da Penha, sobre sua entrada na política e de projetos para desenvolver durante sua campanha nas eleições municipais de 2020.

Há mais de cinco anos trabalhando na causa e no combate à violência contra mulheres pela Delegacia Especializada de Crimes Contra à Mulher (DECCM), Débora comentou ainda sobre sua passagem nessa causa.

“O maior desafio foi fazer uma fase ligeira para a mulher, porque antes ela chegava na delegacia machucada e abalada psicologicamente, e as vezes tinha uma demora muito grande para atendimento. Nós conseguimos . Medidas protetivas de ações não pode demorar, conseguimos que elas sejam atendidas no mesmo dia, isso é muito bom porque realmente elas sentem o amparo”, comentou.

Para a delegada Débora a questão do machismo no Brasil ainda vai demorar para sair do nosso meio. “Eu vejo para 20 anos, porque o que muda é a Educação. A Lei Maria da Penha está fazendo hoje (7) 14 anos, é uma lei adolescente. Então quer dizer que nós quando eramos adolescentes nós não tínhamos uma lei forte para a mulher e nem pensamentos em favor da mulher. A gente via uma mulher apanhando na rua e a gente perguntar o que ela tinha feito ao marido”, disse Mafra.

Foto: Cristhian Guerreiro/Portal Tucumã

Já sobre sua ida para a Política, a delegada falou que tem se surpreendido pela população quanto à sua candidatura. “O que eu quero é trabalhar para o povo e como eu trabalhei na Delegacia da Mulher eu quero continuar o trabalho, meu trabalho é gabinete aberto. Eu não gosto que outras pessoas falem por mim se eu puder estar falando”, ressaltou a pré-candidata.

Débora Mafra falou também que dentro do PSC os pré-candidatos passam por capacitação para seguir na campanha. “Temos o contador que está dando aulas, tem a pessoa que esta falando de redes sociais e tem sobre o Direito, e isso é importante para que a gente não entre na política sem conhecer nada, você vai sim sabendo a legalidade para você não errar”, afirmou.

“Já faz tempo que nós precisamos disso, se as eleições são em novembro. Nosso eleitor estar muito politizado pelas redes, seja sim o dia da mudança, o dia das surpresas”, falou Débora opinando sobre a renovação no quadro de vereadores na Câmara Municipal de Manaus para 2021.

Um dos projetos de Lei que Débora quer implantar se for eleita é quanto o aleitamento materno. “Pensando realmente na mulher que amamenta, essa história da mãe naquele momento da separação ela tem que sair correndo ou o homem leve a criança, que tenha uma guarda provisória para mulher que amamenta”, disse.

Foto: Cristhian Guerreiro/Portal Tucumã

Débora também mencionou o retorno das carretas das mulheres em definitivo, além de dizer que às mulheres não querem entrar na Política e chegou a convocar a participação feminina no meio político. “A mulher precisa estar lá dizendo o que nós precisamos e não deixando lacunas”, ressaltou Débora.

Avaliação

No quadro de avaliação de nomes do cenário político local e nacional, a delegada avaliou os seguintes nomes com a nota máxima três (3), com quem tem afinidades políticas: o governador do Amazonas Wilson Lima (3), o vereador Chico Preto (DC), a ex-titular da Semasc Conceição Sampaio (PSDB), o ex-titular da Suframa Coronel Alfredo Menezes (Patriota), o ex-deputado estadual David Almeida (Avante), o senador Omar Aziz e o empresário Romero Reis (Novo).

Já os nomes do ex-prefeito de Manaus Alfredo Nascimento, os deputados federais José Ricardo (PT) e Marcelo Ramos (PL), deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD), o vice-prefeito de Manaus Marcos Rotta (DEM), o advogado Francisco Balieiro (PCdoB), o pré-candidato a prefeito de Manaus Professor Jonas (PSOL ) e o senador Eduardo Braga (MDB) tiveram avaliação com nota dois (2), nomes que a delegada Débora poderia compor uma aliança política.

Já o deputado Josué Neto (PRTB) foi o único a ser avaliado com nota mínima um (1), pouca afinidade política.

Em nível nacional, os nomes do Presidente Jair Messias Bolsonaro, o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro e a Ministra Cármen Lúcia foram avaliados com nota três. O ex-presidente Lula (PT) e o ministro do STF Gilmar Mendes foram avaliados com nota 1.

Trajetória

Débora Cristina Pereira Mafra nasceu na cidade de Osasco, em São Paulo. É graduada em Direito e especialista em Direito Tributário pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Iniciou na Polícia Civil como escrivã, em 2001, por meio de concurso público. Em 2009 se tornou delegada titular do 28º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Foi delegada adjunta da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e no 1º DIP. A partir de 2014 Débora Mafra começou sua atuação no combate a violência às mulheres, na Delegacia Especializada de Crimes Contra a mulher (DECCM).

Confira outras entrevistas do programa Resenha Política:

Pré-candidata Débora Mafra

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap