Sidney Leite fala sobre o cenário da política local e nacional no programa Resenha Política

Resenha
Sobre as eleições, Sidney Leite disse que um nome muito forte dentro de seu partido (PSD) é o do deputado estadual Ricardo Nicolau, que já tem bastante experiência na cidade de Manaus, e descartou que seu nome esteja cotado para à eleição majoritária (prefeito).
Por Edilânea Souza
Publicado em 22/05/20 às 15h46

O deputado federal pelo Amazonas, Sidney Leite, falou na tarde desta sexta-feira (22), sobre o cenário da política local e nacional no programa Resenha Política, do Portal Tucumã.

Dentre os temas desta edição, a pandemia do novo coronavírus e o como está sendo feito esse enfrentamento no cenário federal e regional, sobre a liberação da cloroquina, além da reunião do presidente Jair Messias Bolsonaro com os governadores na quinta-feira (21) e de sua relação com o ex-governador Amazonino Mendes.

Durante a entrevista, o parlamentar considerou a liberação do uso da cloroquina como mais uma “polêmica” provocada pelo presidente Jair Messias Bolsonaro para tirar o foco dos problemas maiores, como a pandemia provocada pela Covid-19. “O presidente Jair Bolsonaro se elege no contraponto da política. Nesse período do exercício do cargo ele tem criado várias polêmicas, e que muitas vezes não é a principal pauta do país. Esse dito novo protocolo sequer tem assinatura”, comentou Leite citando o livro “Os engenheiros do Caos”, para relacionar as ações do presidente com o momento atual.

Falando na reunião que os governadores tiveram com Bolsonaro na quinta-feira (21), o deputado federal disse que houve uma articulação para que tudo pudesse percorrer bem. “Foi uma coisa construída, algo trabalhado. E o presidente óbvio, ele é um político, e quis compartilhar com os governadores, a responsabilidade do veto do reajuste dos servidores públicos. Não é que o presidente Bolsonaro mudou é fruto da necessidade, e o ministro Paulo Guedes compreende e entende isso”, disse Sidney.

Sobre a Saúde no estado do Amazonas, Sidney Leite disse que o problema é anterior à pandemia causada pelo coronavírus, com uma grande fila no Sisreg (Sistema de Regulação do Sistema Único de Saúde), e que nenhum estado estava preparado para tal pandemia. “Temos mais 100 mil pessoas esperando nas filas, fila essa que vem rodando de governo para governo. Esse número não diminuiu com David Almeida, não diminuiu com Amazonino. Vamos ver agora pós-pandemia”, salientou o parlamentar.

Relação com Amazonino

Quando perguntado sobre sua relação com o ex-governador Amazonino Mendes, Sidney Leite disse que Amazonino é um “populista por convicção” e que Amazonino falou que ele não se elegeria a mais nada. “Amazonino disse se não estivesse do lado dele, que não me elegeria a nada, e aquilo foi a gota d’água”, disse Sidney.

A “gota d”água” para o parlamentar aconteceu quando ele estava como presidente da Comissão de Educação na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) e acontecia uma greve dos educadores, e Amazonino que era governador na ocasião, queria o seu apoio na votação do pagamento da data-base dos profissionais da Educação.

Eleições

Sobre as eleições, Sidney Leite disse que um nome muito forte dentro de seu partido (PSD) é o do deputado estadual licenciado, Ricardo Nicolau, que o mesmo já tem bastante experiência na cidade de Manaus, e descartou que seu nome esteja cotado para à eleição majoritária (prefeito).

O parlametar falou ainda que discorda de uma possível prorrogação aos mandatos já existentes, mas que deva haver a prorrogação do peito em 2020, devido às instabilidades provocadas pelo coronavírus.

Bate-Pronto

No quadro em que o participante avalia nomes políticos do cenário local e nacional, o deputado Sidney Leite atribuiu nota 3, com quem tem afinidades políticas, os nomes de: Bosco Saraiva, Capitão Alberto Neto, Marcos Rotta, Omar Aziz (presidente do PSD), e Plínio Valério.

Com nota 2, para os com alguma afinidade, apareceram os nomes de Alfredo Nascimento, Conceição Sampaio, Chico Preto, David Almeida, Eduardo Braga, Hissa Abrahão, José Ricardo, Josué Neto, Serafim Corrêa, Sinésio Campos, e o governador e o vice-governador do Amazonas, Wilson Lima e Carlos Alberto Almeida, respectivamente. Caroline Braz teve o nome citado, porém o parlamentar se absteve em avaliá-la.

Já para aqueles a quem o parlamentar não tem afinidades políticas e avaliou com nota 1, estão: Amazonino Mendes, Francisco Balieiro, Rebecca Monteiro, Romero Reis e Vanessa Grazziotin. No cenário nacional, Sergio Moro foi avaliado com nota 2. Já o presidente Bolsonaro, Paulo Guedes e o prefeito de Manaus, Arthur Neto foram avaliados por Sidney Leite com a nota 1.

Resenha

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap