‘Um juiz não pode decidir se você vai ou não tomar vacina”, diz Bolsonaro

Bolsonaro reclamou da "judicialização" do imunizante quanto à obrigatoriedade de tomar e questões relativas à compra
Por Sthefane Campos
Publicado em 26/10/20 às 02h22

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reclamou do que chamou de “judicialização da vacina”, referindo-se à defesa feita pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, de que a Justiça poderia decidir sobre questões relacionadas à compra e obrigatoriedade do imunizante contra a Covid-19. A declaração foi dada durante conversa com apoiadores, no Palácio da Alvorada, nesta segunda-feira (26/10).

Após dizer que não compraria vacina chinesa e pôr em xeque a vacina devido ao país de origem, Bolsonaro criticou interferência do Judiciário em questões relacionadas ao produto.

Na semana passada, o presidente e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), protagonizaram um embate em torno da Coronavac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan.

“Hoje vou estar com o ministro Pazuello, da Saúde, para poder tratar desse assunto, porque temos uma jornada pela frente onde parece que foi judicializada essa questão, e eu entendo que isso não é questão de Justiça, isso é de saúde. Não pode um juiz decidir se você vai ou não tomar vacina, não existe isso daí. Nós queremos é buscar solução para o caso”, afirmou.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, já defendeu que a solução do caso deve passar pela Justiça.

“Agora, podem escrever, haverá uma judicialização, que eu acho que é necessária, sobre essa questão da vacinação. Não só a liberdade individual, como também, digamos assim, os pré-requisitos para se adotar uma vacina”, disse Fux na última sexta-feira (23/10).

Leia mais: Ciclone pode atingir vários pontos do país e Marinha alerta perigo

Com informações do Metrópoles.

Foto: Reprodução

MATÉRIAS RELACIONADAS

Fabricação de lâmpadas de LED na ZFM poderá ser ameaçada

Fabricação de lâmpadas de LED na ZFM poderá ser ameaçada

“A fixação de regras para fabricação de luminárias de LED na Zona Franca de Manaus impacta diretamente a estrutura de custos da produção nacional, criando distorções sobre o parque industrial já instalado em diversas regiões do País”, continuou o autor

ZFM

Copy link
Powered by Social Snap