Portal Tucumã
Copyright ©2022 Portal Tucumã.
Todos os direitos reservados.

10 de agosto, 2022

VÍDEO: escravizada durante 54 anos, idosa chora e se recusa a tocar mão de repórter

Madalena Silva, de 60 anos, passou 54 anos sem receber salários, maltratada e roubada pela família que a escravizava
(Foto: Reprodução)

Um vídeo viralizou e causou comoção na web e demonstrou como a exploração e o racismo podem impactar a vida de uma pessoa. Madalena Silva, de 60 anos, passou 54 anos sem receber salários, maltratada e roubada pela família por quem era mantida escravisada em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador

Em entrevista à repórter Adriana Oliveira, da TV Bahia, filiada da Globo, Madalena tentou recusar tocar na mão da jornalista devido Adriana ser uma pessoa branca.

“Fico com receio de pegar na sua mão branca”, desabafou Madalena. “Mas por quê? Tem medo de quê?”, indagou a repórter, estendendo as mãos. “Por que ver a sua mão branca… eu pego e boto a minha em cima da sua e acho feio isso”, explicou ela. “Sua mão é linda, sua cor é linda. Olhe para mim, aqui não tem diferença. O tom é diferente, mas você é mulher, eu sou mulher. Os mesmos direitos e o mesmo respeito que todo mundo tem comigo, tem que ter com você”, disse a jornalista.

Madalena Silva foi resgatada em março de 2021, e atualmente, está morando na cidade de Lauro de Freitas.

A doméstica não recebia salário, era maltratada e sofria com roubos da filha dos “ex-patrões”, que chegou a realizar empréstimos em seu nome e se apossar de R$ 20 mil sua aposentadoria.

Nas redes sociais, Adriana Oliveira contou que o momento foi um dos mais emocionantes de sua carreira como jornalista.

“Ainda tô impactada com o encontro com Dona Madalena. Ela foi vítima de uma violência brutal por 54 dos 62 anos de vida. E dentro de uma casa “de família” foi submetida à condições análoga à escravidão. Ela foi resgatada, em março,por auditores do Ministério do Trabalho. Hoje vivi um dos momentos mais emocionantes nos 27 anos de profissão. Ainda tem muita luta”, disse Adriana.

MATERIAS RELACIONADAS